Dia a dia

Em Parintins, PM reage à emboscada e mata detento do semiaberto

Após ser baleado, PM acerta e mata bandido – foto: Tadeu de Souza

Após ser baleado, PM acerta e mata bandido – foto: Tadeu de Souza

Parintins (AM) – Detento do regime semiaberto em Parintins (a 369 quilômetros de Manaus), Joaquim Teixeira Machado, 21, vulgo ‘Bodinho’, foi morto a tiros na madrugada deste domingo (29), ao tentar contra a vida de um policial militar que retornava para casa, acompanhado da esposa.

O fato aconteceu na avenida Paraíba, Zona Oeste da cidade, a um quarteirão do quartel da PM. ‘Bodinho’ estava acompanhado de mais dois jovens, um deles identificado apenas como Gabriel.

Comandante das guarnições da PM, o tenente Ricardo Viana contou que o policial trafegava normalmente pela avenida Paraíba em sua motocicleta, quando foi reconhecido por Bodinho, que o acertou com um disparo de revólver calibre 38, na perna. O PM reagiu, dando início a um intenso tiroteio na área.

Nesse instante, Gabriel e outro elemento de nome não identificado, ambos desconhecidos da polícia, também fizeram vários disparos contra o PM, que revidou os tiros, acertando ‘Bodinho’ na cabeça.

“A todo instante, o policial gritava para que o Bodinho largasse a arma, mas o mesmo não atendia, nem ele e nem os dois rapazes que estamos procurando. Estavam decididos a matar o PM”, afirmou Viana.

Com a chegada das viaturas da polícia, Gabriel e o outro comparsa fugiram. O PM ferido foi levado para o Hospital Padre Colombo e o corpo de ‘Bodinho’ para o Instituto Médico Legal (IML).

Condenação

‘Bodinho’ havia sido condenado por assaltos e tráfico de drogas. No ano passado, durante assalto a um posto de gasolina na Zona Oeste de Parintins, ele chegou a ser baleado na perna. Foi preso e já estava em liberdade.

Durante a tarde, no velório de Bodinho, o pai dele, Joaquim Teixeira Machado, bastante abalado, contou que havia terminado de fazer uma oração quando ouviu os disparos. “Foram muitos, acredito que meu filho foi executado”, disse ele.

Segundo o coronel Valadares Júnior, comandante local da PM, foi aberto um procedimento para investigar o caso. A arma do policial será enviada a Manaus para perícia.

A polícia Civil instaurou inquérito e ainda neste domingo foram colhidas as primeiras informações acerca do ocorrido.

 

Por Tadeu de Souza

1 Comment

1 Comment

  1. joaquim texeira

    30 de maio de 2016 at 22:10

    Que nada vcs seus porcos tam acustumandos a matar nossos irmãozinhoz..e agora vcs botaram exa discupa q n tem nem cabimento…ms o noxo irmãozinho pode discubrir kem é q tava mantando nossos irmãos..é por ixo q eu bato palma qndo um di vcs morre e bato no peito e e digo fé para o noxos irmào…porcos mauditos n confie e policia raça do caralho..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir