Dia a dia

Em Parintins, bumbás mirins preparam palco para duelo dos bois

 

 Em Parintins, bumbás mirins preparam palco para duelo dos bois - foto: Tadeu de Souza

Com a chuva, não houve contagem de pontos nas apresentações dos bumbás mirins de Parintins – foto: Tadeu de Souza

O forte temporal que desabou sobre a cidade de Parintins na noite de domingo (21) impediu a disputa dos bumbás-mirins que encerraram a última noite do segundo grupo do Festival Folclórico de Parintins.

Mesmo sem a contagem de pontos, os três bumbás mirins Tupy, Estrelinha e Mineirinho fizeram uma apresentação para o público que lotou as arquibancadas cobertas construídas pela prefeitura no lado azul da Praça dos Bois.

“Nós entendemos que a forte chuva comprometeu a disputa, os bumbás já estavam na área de concentração quando choveu e isso nos levou de comum acordo com a Liga dos Bumbás Mirins de Parintins, a suspender a contagem de pontos”, afirmou a secretária de Cultura do município, Sinatra Santos.

O primeiro bumbá a se apresentar foi o Tupy. Seguido do Estrelinhas e o bumbá Mineirinho fechou a noite com as suas cores azul e branco. “Nós concordamos que não houvesse disputa, sempre foi assim, toda vez que há um imprevisto como esse causado pela natureza fica difícil a disputa, a contagem de votos, porque muito material se perde, de modo que apoiamos a iniciativa da secretaria de Cultura do município”, declarou Adson Silva, o “Louro”, presidente do boi-bumbá Mineirinho da rua governador Leopoldo Neves, centro da cidade.

Amo cadeirante

Um dos momentos mais emocionantes do encerramento do segundo grupo do Festival Folclórico de Parintins foi a entrada na arena de apresentação na Praça dos Bois do Amo do Boi-mirim Tupy, Alex Edvaldo, cadeirante de 6 anos. Seus versos arrancaram aplausos e emocionaram os presentes.

Ele disse  que sempre sonhou em brincar como Amo do Boi. “Estou muito feliz aqui com a minha galera e se não fosse a chuva iriamos ganhar”, declarou.

Agora a movimentação toda é no bumbódromo com a passagem de som dos bumbás Caprichoso e Garantido e a finalização do palco para o espetáculo que se inicia na próxima sexta-feira (26).

Caprichoso

Na noite de domingo, na Ilha Tupinambarana, o boi Caprichoso realizou com sucesso o seu último boi de rua.

O boi de rua saiu do Esconde, na travessa Sá Peixoto, território sagrado do azul e branco e percorreu toda a avenida Amazonas, passando pela rua Cordovil onde, na década de 1970, existia um curral do azul e retornou para o curral Zeca Xibelão. “Sem passar na Cordovil não tem boi de rua”, disse o funcionário público federal João do Carmo, o “Careca”, acompanhando o boi pelas ruas.

A maioria dos itens participou da brincadeira. Brena Dianá, Rainha do Folclore, disse que a vitória é certa.

Por Tadeu de Souza ( equipe EM TEMPO)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir