Esportes

Em outubro, ultramaratonista vão correr de Manaus a Itacoatiara

Após superar 117 quilômetros de corrida entre Manaus e Presidente Figueiredo, os integrantes do Grupo dos Ultramaratonistas do Amazonas (Guan) resolveram desafiar os próprios limites e embarcar agora numa aventura maior. No dia 10 de outubro, 40 atletas pretendem deixar a capital e percorrer os 176 quilômetros da rodovia AM-010 com destino ao município de Itacoatiara.

Diferente da prova de Presidente Figueiredo – realizada em setembro de 2014 –, esta será feita no estilo de revezamento, em que cada um dos oito grupos será composto por cinco pessoas que correrão 54 quilômetros cada. A prova vai iniciar às 6h com a largada feminina. “A estimativa média é que elas terminem às 13h. Terminou, elas entrarão numa vã, que vai dar o apoio durante o todo o trajeto, e o segundo corredor desce e continua a prova”, explicou um dos participantes, Edézio Rufino.

A previsão é de que a prova dure dois dias. As equipes serão são identificadas com nomes da fauna local. “Onça pintada, mico leão, tudo voltado a nossa região”, ressaltou.

O integrante do grupo, Edézio Rufino, explicou ainda que na maratona de Presidente Figueiredo os atletas partiram às 18h de Manaus e chegaram ao destino às 11h do dia seguinte. “A turma nunca fez este trajeto. Acho importante explorar nosso interior, trazer mais gente para fazer maratona no Amazonas, que tem suas especificidades. Existe a relação da dificuldade do clima, que é muito diferente do resto do país. É difícil resistir a muitas horas nesta ‘lua’, com esta nossa umidade”, apontou.

Além de divulgar o esporte no Estado atraindo atletas de fora, a maratona promovida pelo grupo também busca preparar os corredores locais para competições em todo o Brasil. “No Amazonas não acontecem provas longas de muitas horas. Esta é uma oportunidade de montar um time do Amazonas para enfrentar o desafio Rio-São Paulo ano que vem, que é em grupo”, ressaltou.

Para o Rufino, é importante fomentar a corrida e o esporte em geral em busca de melhorar a qualidade de vida das pessoas. “Antes era moda, agora a busca pela qualidade de vida vem se tornando uma realidade e tem mudado a vida de muita gente. A procura pela corrida aumentou, assim como pelas competições de triathlon em Manaus. Temos visto sedentários darem uma virada na vida e combatido vícios trazidos pelo sedentarismo como fumo e álcool. A prática esportiva gera uma mudança na cabeça da pessoa, uma mudança de atitude, que melhora a qualidade de vida e faz as pessoas viverem um pouco mais”, ressaltou.

Recurso próprio

Nesta primeira corrida para o município de Itacoatiara, o grupo tem tirado dinheiro do próprio bolso para investir na estrutura. Serão três vans que darão suporte para os atletas e outros carros de apoio. “Estamos atrás de conseguir uma ambulância por 48 horas, mas por enquanto está sendo complicado. Tudo estamos tirando do próprio bolso. Para a chegada na cidade já entramos em contato com o prefeito para dar um apoio aos nossos atletas”, disse.

Por Ive Rylo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir