Dia a dia

Em manifestação, mototaxistas legalizados reivindicam mais fiscalização para serviços clandestinos

O ato ocorreu em frente à prefeitura de Manaus, na avenida Brasil, Compensa, Zona Oeste da cidade - foto: Ione Moreno

O ato ocorreu em frente à prefeitura de Manaus, na avenida Brasil, Compensa, Zona Oeste da cidade – foto: Ione Moreno

Aproximadamente 250 mototaxistas legalizados realizaram, na manhã desta terça-feira (26), uma manifestação reivindicando mais fiscalização por parte das autoridades públicas em relação aos que realizam o serviço de forma clandestina. O ato ocorreu em frente à prefeitura de Manaus, na avenida Brasil, Compensa, Zona Oeste da cidade.

De acordo com o presidente da União Estadual dos Mototaxistas, Orlando Bindá, a categoria pede que a prefeitura reforce a fiscalização para coibir a atuação dos mototaxistas clandestinos. “Queremos que o prefeito Arthur Neto reforce a fiscalização, porque ainda existem muitos fazendo o trabalho de forma ilegal. A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) só fiscaliza os legalizados e deixa de lado os piratas que não deveriam estar nas ruas”.

Conforme o representante, a categoria também quer deixar de pagar um dos seguros. “Pagamos o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Dpvat) e o mais um seguro de vida. Somos a única categoria que paga esse seguro de vida e não queremos mais pagar este benefício”.

Bindá também informou que, caso o prefeito não tome um posicionamento a respeito das reivindicações, a categoria vai realizar manifestações todas as terças-feiras, das 9h as 13h, em frente a sede do Executivo municipal.

A reportagem do EM TEMPO Online entrou em contato com a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), mas até o momento desta publicação não obteve resposta.

Em nota o SMTU informou que as fiscalizações têm sido feitas diariamente, percorrido todas as zonas da cidade e, no serviço de mototáxi, as apreensões feitas esse ano já somam 325 motos, mais as realizadas no ano passado quando 311 veículos foram apreendidos a partir do mês de setembro. No entanto, as blitz estão sendo realizadas em parceria com o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar e o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) que realizam as apreensões nos casos de irregularidades na documentação do condutor e da moto.

“Desta forma, a quantidade de veículos apreendidos em irregularidades no serviço de mototáxi é bem maior, visto que a falta/irregularidades na documentação é o problema mais recorrente nas operações de fiscalização no serviço. Além da fiscalização, para desestimular o passageiro a utilizar o serviço clandestino, a prefeitura também já veiculou peças publicitárias destacando as vantagens de se optar pelo serviço regularizado. Atualmente, o seguro de vida e acidentes é uma exigência da lei n.º 2.088, de 30 de dezembro de 2015 que norteia o serviço de mototáxi”.

Por Kattiúcia Silveira

Com informações de Naritha Migueis

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir