Dia a dia

Em Manaus, vendedor é preso suspeito de estuprar enteada de 13 anos

Segundo a titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Juliana Tuma, o homem foi detido por volta das 11h, no bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus - foto: divulgação

Segundo a titular da Depca, Juliana Tuma, o homem foi detido por volta das 11h, no bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus – foto: divulgação

Um vendedor de 28 anos foi preso na manhã desta segunda-feira (18), suspeito de ter estuprado a ex-enteada de 13 anos. Segundo a titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Juliana Tuma, o homem foi detido por volta das 11h, no bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus.

De acordo com a autoridade policial, há duas semanas a vítima teria procurado a mãe e relatado as transgressões, após ver outros casos de estrupo repercutirem nos veículos de comunicação local. Segundo a adolescente, os abusos por parte do ex-padrasto vinham acontecendo desde quando ela tinha seis anos de idade. A garota afirmou que aos 11 anos ele a teria penetrado e sofreu um aborto aos 12 anos.

“A garota chorou muito quando contou o caso para a mãe dela. A mãe, por sua vez, afirmou nunca ter desconfiado de que algo errado pudesse estar acontecendo dentro da própria casa. Então ela nos procurou e denunciou o ex-companheiro. A mulher disse que apesar de estar separada do infrator há três meses, ele continuava frequentando a residência onde ela mora com os dois filhos, a adolescente e um garoto de sete anos, fruto do relacionamento com o infrator. A vítima declarou que era abusada quando a mãe saía ou na hora do banho”, argumentou Juliana Tuma.

Conforme a delegada, em depoimento na especializada a menina contou que o ex-padrasto ameaçava matar a mãe dela ou cometer suicídio caso ela contasse para alguém o que acontecia entre eles. “Ele dizia que queria ir visitar o filho de sete anos e aproveitava para estuprar a adolescente. Apesar da confirmação do estupro por meio de laudo emitido pela equipe do Instituto Médico Legal (IML) e da declaração da vítima, o infrator continua negando a autoria do crime. Ele alegou que a situação teria sido forjada pela mãe da garota”, disse.

A vítima teria afirmado, ainda, que o ex-padrasto fazia vídeos se masturbando e enviava para o celular dela. A adolescente disse que, algumas vezes, o infrator a teria ficado esperando, escondido, perto da escola onde ela estuda. Com medo, ela o observava de longe e aguardava ele ir embora para que pudesse ir para casa.
Diante das revelações e do laudo a titular da Depca representou o pedido de prisão preventiva em nome do infrator. O documento foi expedido na última sexta-feira, dia 15, pela juíza Margareth Rose Cruz Hoagen, do Plantão Criminal.

O infrator foi indiciado por estupro de vulnerável, crime previsto no Artigo 217-A do Código Penal Brasileiro (CPB). Após a realização dos procedimentos cabíveis no prédio da especializada ele será conduzido à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir