Economia

Em Manaus, simulador vai encarecer pacotes de CNH em R$ 400; autoescolas não têm como usar equipamento

Os gastos com os equipamentos de simulação serão automaticamente repassados para o consumidor – foto: divulgação

Os gastos com os equipamentos de simulação serão automaticamente repassados para o consumidor – foto: divulgação

Os centros de formação de condutores de Manaus (autoescolas) ainda estão sem saber o que fazer em relação ao aparelho simulador de direção veicular, que passou a ser obrigatório em todo o país no início de janeiro, segundo a resolução do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

O sindicato da categoria informou que a quantidade de aparelhos na capital é menor que o número de centros cadastrados e, por essa razão, pediu 120 dias junto ao órgão para que entrasse em vigor na capital. Com a obrigatoriedade, pacotes irão aumentar o valor em até R$ 400.

Conforme o presidente do Sindicato dos Centros de Formação de Condutores, Raimundo Macena, dos 42 centros de formação registrados em Manaus, apenas 14 possuem o aparelho e os problemas são muitos. “Ainda não temos condições de darmos início ao processo com o simulador em Manaus. Além de ser caro – aproximadamente R$ 45 mil -, temos diversos problemas como quedas de energia constantes, internet de péssima qualidade e outros problemas, além de só termos 14 aparelhos em todo o Estado”, esclareceu.

Antes de se tornar obrigatório, pacotes de formação de condutores de carros (CNH B), em centros do Estado, estão sendo fechados em, aproximadamente, R$ 1,4 mil. Com a obrigatoriedade, o preço do mesmo pacote sofrerá aumento de mais de R$ 400. De acordo com dados divulgados na página do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), apenas cinco empresas estão certificadas para a fabricação e fornecimento de simuladores de direção veicular em todo o país. Sendo elas: Pró Simulador, Real Drive, Real Simuladores, Indra Esteio Sistemas e Luzeiro Rota Simuladores.

O Denatran lançou uma Resolução 493, que informa que “aulas de prática de direção veicular para a categoria ‘B’, realizadas no período noturno, poderão, de forma facultativa, ser substituídas por aulas realizadas em simulador de direção veicular, limitadas a quatro horas” e ainda que “os Centros de Formação de Condutores deverão comprovar junto aos órgãos e entidades executivos de trânsito dos Estados e do Distrito Federal a realização das aulas de prática de direção veicular e de aulas em simulador de direção veicular executadas no período noturno”.

A partir da resolução do departamento, o presidente do sindicato informou ainda que entrou com um pedido junto ao órgão pedindo um prazo de 120 dias para que as autoescolas de Manaus pudessem se adequar ao novo formato. O Departamento de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) informou que fez um pedido ao Denatran para prorrogar por mais 90 dias a obrigatoriedade dos simuladores nas autoescolas do Amazonas.

Isso porque, segundo o órgão, as aulas aplicadas por meio do simulador são on-line e precisam de conexão e algumas escolas dos municípios não possuem internet de qualidade. O Detran-AM destacou ainda que não há registros de pessoas prejudicadas por conta da falta de simuladores em autoescolas, isso porque várias já estão oferecendo aulas com simulador e outras que ainda não possuem fizeram encomenda do aparelho.

De acordo com a diretora executiva da Autoescola NB, Tatiane Ribeiro, os gastos com os equipamentos de simulação serão automaticamente repassados para o consumidor. “Precisaremos pagar o link para a empresa que irá trabalhar com o sistema, precisaremos pagar funcionários, além do próprio equipamento. Com isso, cada aluno irá pagar algo em torno de R$ 60 por cada 30 minutos de aula. A procura realmente aumentou por conta das futuras mudanças”, revelou.

Por Luis Henrique Oliveira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir