Política

Em Manaus, manifestação de apoio a Dilma reúne 5 mil pessoas

Estudantes e classes sindicais saíram em defesa de Dilma-foto: Ricardo Oliveira

Estudantes e classes sindicais saíram em defesa de Dilma-foto: Ricardo Oliveira

Ao grito de “Não vai ter golpe”, cerca de cinco mil militantes, movimentos sociais e diversas centrais sindicais do Amazonas percorreram diversas ruas e avenidas do centro de Manaus, na tarde desta quinta-feira (20), saindo da praça do Congresso e Largo São Sebastião, em defesa do governo de Dilma Rousseff (PT), contrários às recentes tentativas de impeachment contra a presidente, eleita há oito meses.

Segundo o vice-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) no Amazonas, Robson de Bastos, o objetivo da manifestação era afirmar a legitimidade e o apoio ao atual governo. “O que nós queremos mostrar é que um governo que foi eleito de forma democrática tem legitimidade para continuar. Nós estamos vendo o avanço de todos os programas que o governo federal tem, que realmente mudou este país e está dando a oportunidade para todos e aumentando a nossa qualidade de vida.”, garantiu o líder partidário.

Entre os movimentos que estiveram presentes no ato, o Movimento Nacional de Luta Por Moradia em Manaus (MNLM), Movimento dos Sem Terra (MST), Sem tetos, União Nacional dos Estudantes (UNE), União da Juventude Socialista (UJS), além de diversos partidos de esquerda.

Para o estudante Maike Soares, do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), os estudantes apoiam não só o governo, mas também apresentam propostas de melhorias para o país. “Aqui você encontra pessoas que não votaram na Dilma, mas que defendem que o mandado seja respeitado”, garantiu o estudante.

Para a líder da Marcha Internacional das Mulheres, Fraci Guedes, o ato é em favor do governo Dilma e das políticas públicas promovidas pelo governo federal. “Nós temos várias políticas públicas a nosso favor, como a rede de combate à violência contra a mulher, temos a casa da mulher brasileira, então nos sentimos no dever de defender este governo”, afiançou.

Presente no manifesto, o vereador Professor Bibiano, do PT, assegurou que o país precisa respeitar os direitos adquiridos no processo democrático. “Nós entendemos que para um país estão consolidado é preciso que se respeite as estruturas fundamentadas nos princípios democráticos. Especificamente neste ato queremos reformar a democracia, sabemos dos problemas, mas as grandes estatais têm garantido ao país a renda, sendo uma delas a Petrobras, e precisamos reafirmar que ele é do povo brasileiro, e que ela não pode ser usurpada”, sentenciou Bibiano.

Ato em todo o país

Além de Manaus, diversas capitais do país saíram em defesa dos direitos democráticos, afirmando apoio à presidente Dilma Rousseff. Em São Paulo, 70 mil pessoas ligadas a centrais sindicais e movimentos sociais saíram às ruas, mas também contra as medidas de ajuste fiscal, adotadas pelo governo federal.

Por Stênio Urbano

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir