Sem categoria

Em Manaus, lideranças do tráfico são ameaçadas de morte

“João Branco” é o mandante das execuções de líderes rivais - foto: divulgação

“João Branco” é o mandante das execuções de líderes rivais – foto: divulgação

O combate pela liderança do narcotráfico entre facções criminosas já resultou em três mortes, em menos de 13 dias, dentro de unidades prisionais de Manaus. Jurados de morte, os detentos Ronairon Moreira Negreiros, 35, e Fabio Mattos Oliveira, o ‘Piu-Piu’, 28, foram transferidos na noite da última sexta-feira (10) do Centro de Detenção Provisória Masculina (CDPM), no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista), para o Comando de Policiamento Especializado (CPE), no bairro Dom Pedro, na Zona Oeste, após o terceiro assassinato.

A transferência dos traficantes foi motivada pela briga entre integrantes da facção criminosa Família do Norte (FDN), comandada pelos narcotraficantes João Pinto Carioca, o ‘João Branco’, e José Roberto Fernandes, o ‘Zé Roberto da Compensa’, e os ex-membros da organização, os atuais ‘300 Espartanos’, que é chefiada por Ronairon.

Conforme o titular da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), coronel Lourismar Bonates, para resguardar a integridade dos internos “foi cumprida a determinação da Justiça de transferir Ronairon e ‘Piu-Piu’ para um batalhão militar”.

O comandante do Policiamento Especializado (CPE), tenente-coronel Cleitman Rabelo, confirmou que os detentos deram entrada no batalhão depois das 21h da última sexta-feira.

Música é usada para dar aviso

Por sua vez, a titular da Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai) da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), Tâmara Maciel, informou que a defesa de Ronairon, após tomar conhecimento de uma música de Rap, em que ele é ameaçado de morte, solicitou à Seap permanecer em uma ala de segurança, afastado dos demais presos. “Tivemos conhecimento dessa música feita pelos internos do Compaj e estamos em investigações. Houve uma briga entre eles. Ele (Ronairon) está resguardado na cadeia”, informou.

Em trechos da música os integrantes da FDN relatam que Ronairon traiu o grupo e deve ser morto para aprender. Um dos trechos diz: “Cresceu o olho na família, vai pegar de P.30. Esse é o golpe de Estado retorno da parte 2. É vagabundo tá pensando o quê?”. Em outro trecho, as ameaças continuam: “Aqui é o certo pelo certo, com nós não tem perdão. Vacilou, tu moscou Ronairon seu cuzão. Tentou pagar de esperto, mas ó que absurdo”. “O aviso está sendo dado. Aqui do fechado eu vou falar agora, se o bonde te pegar vai descarregar as pistolas. General bateu martelo eu não posso conspirar…FDN é o bonde do JB”, diz outro trecho do Rap.

Ronairon (à esq.) e ‘Piu-Piu’ (no centro) estão 'sentenciados'

Ronairon (à esq.) e ‘Piu-Piu’ (no centro) estão ‘sentenciados’

‘Traidores’ são decapitados

No rol de assassinatos entre os grupos criminos, a primeira morte relacionada ao conflito das facções criminosas ocorreu no último dia 28 de junho, onde um dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC), Rubens Rodrigues Marques Júnior, o “Rubão da Praça 14”, foi assassinado dentro de uma das celas do CDPM.

No último dia 10, foi a vez de Aldemir Picanço de Oliveira, o ‘Deco’, 38, que foi decapitado, dentro do pavilhão 1 da unidade prisional, sendo apontado como o traidor do PCC, após se vender por R$ 150 mil à FDN, segundo testemunhas.

‘Chester’

Ainda dentro dessa disputa entre os criminosos, um dos aliados de Ronairon Moreira Negreiros também morreu.

Considerado traidor da FDN por se aliar a Ronairon, Winchester Uchôa Cardoso, o ‘Chester’, 35, foi morto por determinação do alto comando da FDN como resultado da disputa entre as facções criminosas.

Ele foi decapitado, no dia 7 deste mês, minutos depois de dar entrada no regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), localizado no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista).

Por Thaís Gama

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir