Eleições 2016

Em Manaus, idosa de 81 anos vai às urnas votar e cumpre exercício da cidadania

aposentada-votacao-jp

A primeira vez que a aposentada exerceu a cidadania eleitoral foi aos 18 anos, em Tabatinga. Hoje, aos 81 anos, ela voltou às urnas para confirmar o voto – foto: João Paulo Oliveira

Aos 81 anos e desobrigada de votar, a ex-agricultora aposentada, dona Amelita Figueiredo de Souza fez questão de exercer sua cidadania neste domingo de eleição. Acompanhada de dois genros e utilizando uma bengala, a idosa surpreendeu vários eleitores, na seção 602 da Zona 2, na Universidade Nilton Lins, bairro Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul.

Dona Amelita relembra quando votou pela primeira vez, aos 18 anos, no município de Tabatinga, distante a 1.108 quilômetros de Manaus, quando o voto ainda era manual, em cédula. De lá para cá, passaram-se 63 anos e o método de votar também se modernizou.

A eleitora transferiu seu voto a capital aos 22 anos de idade. A idosa tem 12 filhos, 30 netos e 14 bisnetos. Ela garantiu que não deixará de votar, mesmo não estando inclusa na faixa etária que possui obrigação ao voto.

“Amo meu Brasil, amo minha ‘terra’ e quero poder contribuir com meu país da maneira que eu posso. Gosto de votar, eu quis estar aqui, para decidir a escolha de uma autoridade constituída por Deus, para isso o povo precisa contribuir. Estou aqui para votar por uma saúde melhor. Por uma cidade melhor. Poderia estar em casa, mas não, eu vim com intuito de contribuir e participar”, disse a aposentada, que é mãe do vereador de Tabatinga, Messias Figueiredo (PSDC).

Leis

O voto no Brasil é obrigatório desde sua instituição pela Constituição outorgada em 1824. Posteriormente à Constituição de 1824, o voto obrigatório foi confirmado em 1932 pelo Código Eleitoral da época e também pela Constituição de 1934.

Dona Amelita questionou a constituição. “Não precisa de obrigação, para nós idosos, o voto é uma inclusão de vida, é o verdadeiro significado de cidadania e patriotismo”.

A atual Constituição traz a obrigatoriedade do voto eleitoral para todos os cidadãos, exceto para os analfabetos, os menores de 16 e 17 anos e para os idosos maiores de 70 anos.

Números

Os próprios dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que a população de eleitores idosos (com mais de 60 anos) aumentou de 20.769.458, em 2010, para 24.297.096 nestas eleições.

Por João Paulo Oliveira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir