Economia

Em Manaus, empresários do mercado imobiliário conquistam poder de construir habitações populares

Desburocratização no setor imobiliário do Estado foi conquistada pelo setor junto a órgãos responsáveis da prefeitura - foto: arquivo EM TEMPO Online

Desburocratização no setor imobiliário do Estado foi conquistada pelo setor junto a órgãos responsáveis da prefeitura – foto: arquivo EM TEMPO Online

Empresários do mercado imobiliário do Amazonas conquistaram o poder de construir habitações populares, de caráter privado, a partir de agora, em qualquer área da cidade. Assim como a facilitação de vários entraves à construção civil, todas as medidas foram aprovadas dentro do Comitê de Desburocratização da Prefeitura de Manaus e Plano Diretor da cidade.

As conquistas foram expostas numa reunião com o prefeito de Manaus, Arthur Neto, no último sábado (2), no Caesar Business, com presença ainda do presidente do Comitê e secretário municipal de finanças, Ulisses Tapajós, e demais autoridades. As propostas aprovadas são da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas (Ademi-AM).

O presidente da Ademi-AM, Romero Reis, também solicitou, na ocasião, apoio ao prefeito para o projeto “O Futuro da Minha Cidade”, uma iniciativa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, em parceria com o Sindicato das Indústrias da Construção Civil em Manaus (Sinduscon-AM), que será lançada, em Manaus, no próximo semestre.

Segundo Romero, “O Futuro da Minha Cidade” será uma ação privada, mas aberta a todos, que tem como principal objetivo mobilizar a sociedade para ser protagonista na gestão das cidades, desenvolvendo soluções para a sustentabilidade.

Dentre outros êxitos para a área da construção de imóveis em Manaus está a cobrança de 5% de doação para Prefeitura aos empreendimentos acima de 20 mil metros quadrados e não mais 10 mil metros quadrados, assim também como a questão das vagas em condomínios: será agora uma vaga para cada oito apartamentos.

De acordo com o presidente da Ademi-AM, todas as vantagens acatadas desburocratizam o mercado imobiliário em vários aspectos. Ele destacou a participação do presidente do Comitê de Desburocratização e secretário de finanças do munícipio, Ulisses Tapajós, que “conduziu as ações com extrema competência”, encaminhando as propostas à Câmara Municipal de Manaus (CMM).

No poder legislativo, Romero disse que as propostas, nas mãos da liderança do prefeito, vereador Elias Emanuel, obtiveram as aprovações necessárias. “Estamos felizes com os benefícios palpáveis e com a conduta profissional do Comitê de Desburocratização, além do empenho do prefeito nas questões”, declarou.

Para o prefeito de Manaus, Arthur Neto, a desburocratização é essencial à cidade e também aos negócios. “Criamos o Comitê para isso, para acabar com burocracias supérfluas, mas de maneira organizada”, declarou.

Associados da Ademi-AM, os empresários da Engeco, Porfírio Saldanha, e da Construtora Cristal, Jorge Roldão, também agradeceram a aprovação das propostas. “É uma sensação de respeito e entendimento que essa interlocução com o poder público é fundamental para o progresso de Manaus”, disse Roldão.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir