Dia a dia

Em Iranduba, envolvidos em venda ilegal de terras são alvo de operação

O pai e o irmão de Adson foram autuados em flagrante e permanecem presos à disposição da Justiça - foto: divulgação/Polícia Civil

O pai e o irmão de Adson foram autuados em flagrante e permanecem presos à disposição da Justiça – foto: divulgação/Polícia Civil

Durante operação ‘Duas Caras’, deflagrada na manhã deste sábado (18) pela 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus), em conjunto com a Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop), três pessoas foram presas.

A ação resultou no cumprimento de cinco mandados de busca e apreensão domiciliar contra Adson Dias da Silva, 30, conhecido como ‘Pinguelão’, e seus familiares. A operação foi coordenada pelo delegado titular da delegacia de Iranduba, Paulo Mavignier, e pela delegada adjunta, Tamara Albano, com o apoio da Polícia Militar. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Criminal de Iranduba.

Segundo a investigação da polícia, Adson é apontado como o responsável por vendas ilegais de lotes de terras na comunidade Portelinha, localizada na estrada de Serra Baixa, no município de Iranduba. Ele também é investigado pelos crimes de ameaça, porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas.

Na residência do suspeito foram apreendidos documentos de vendas de lotes de terras e dois simulacros de arma de fogo. Na residência do irmão dele, foi aprendida uma espingarda calibre 20. No imóvel do pai de Adson, foram encontrados um colete balístico, uma espingarda calibre 20, dois cartuchos calibre 32, cinco cartuchos calibre 24, quatro cartuchos calibre 22, além de 13 cartuchos calibre 38, e oito cartuchos calibres 44 e 40.

O pai e o irmão de Adson foram autuados em flagrante e permanecem presos à disposição da Justiça.

De acordo com o delegado Paulo Mavignier, o resultado da operação trará mais tranquilidade para a população. “Após essa atuação enérgica da Segurança Pública, o clima de conflito na Comunidade da Portelinha será reduzido, sendo dada resposta à sociedade e a todas as vítimas que procuraram a Polícia Civil”, afirmou.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir