Dia a dia

Em encontro, Sema garante R$ 2,7 mil para projetos de redução do desmatamento

O segundo projeto aprovado é coordenado pelo Instituto de Pesquisas Ambientais da Amazônia (IPAM), para o monitoramento da biomassa das florestas da Amazônia, com aporte de R$ 300 mil. - foto: divulgação

O segundo projeto aprovado é coordenado pelo Instituto de Pesquisas Ambientais da Amazônia (IPAM), para o monitoramento da biomassa das florestas da Amazônia, com aporte de R$ 300 mil. – foto: divulgação

Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas (Sema) captou esta semana R$ 2,7 milhões para redução do desmatamento na Amazônia. O aporte é a soma de um repasse do governo norueguês para ações de preservação da floresta mais a aprovação de dois projetos ambientais avaliados pelo GCF – Força Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas, que nos últimos quatro dias reuniu em Barcelona, na Espanha, representantes de 29 estados e províncias.

Representando o Amazonas no encontro anual do GCF, o titular da Sema, Antonio Stroski, acompanhado do secretário executivo, Luís Henrique Piva, apresentaram os números e a contribuição do Estado para a redução das emissões por desmatamento, conforme preconiza a Declaração Rio Branco, assinada na Reunião Anual do GCF de 2014, na qual cada membro concordou em reduzir o desmatamento em 80% até 2020 e a dedicar uma parte substancial de financiamento à comunidades tradicionais e indígenas.

Ao defender essas estratégias, o Amazonas teve sinal positivo para investimentos através de dois projetos aprovados pelo GCF. Um deles coordenado pelo Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam) que irá criar indicadores de carbono florestal, combatendo ainda extração e comercialização de madeira ilegal na Amazônia. O projeto está orçado no valor de R$ 480 mil. O segundo projeto aprovado é coordenado pelo Instituto de Pesquisas Ambientais da Amazônia (Ipaam), para o monitoramento da biomassa das florestas da Amazônia, com aporte de R$ 300 mil.

A parcela restante parte de uma doação pelo governo Norueguês no valor de U$ 25 milhões, que será rateado entre quatro estado da Amazônia Legal, incluindo o Amazonas. A meta é investir em ações para reduzir as emissões por desmatamento (REDD+).

Para o secretário do Meio Ambiente do Amazonas, Antonio Stroski, o repasse é uma resposta positiva à contribuição do Estado do Amazonas. “O Amazonas é um dos fundadores da Força Tarefa e a contribuição do Estado para a discussão mundial sobre florestas e mudanças climáticas é a Política Estadual de Serviços Ambientais, atualmente sob consulta pública, e que irá desenvolver todo um sistema de valorização dos ativos ambientais do estado, além dos programas e projetos desenvolvidos pela Sema voltados para a conservação ambiental, a redução de emissões e o combate ao desmatamento, como o Cadastro Ambiental Rural”, destacou Stroski.

“Em Barcelona, temos a oportunidade de construir novas parcerias e elevar o nível de muitos desses esforços, o que é especialmente importante nos preparativos para as negociações sobre o clima em Paris”, disse William Boyd, Líder e Conselheiro Sênior do Projeto GCF.

“O mundo está procurando por soluções, e o GCF Task Force as possui. Nossos membros estão na linha de frente na luta contra as mudanças climáticas, trabalhando em conjunto com parceiros do setor privado e da sociedade civil para projetar soluções e colocá-las em prática”, completou.

“Como governos subnacionais, somos aqueles que realmente devem agir”, disse Mary Nichols, representante do Conselho da Califórnia Air Resources. “Nós somos a base de qualquer esforço bem sucedido na luta contra as mudanças climáticas”, acrescentou.

Com informações de assessoria.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir