Política

Em disputa com Chalita, Marta é recebida como candidata em convenção do PMDB

Provável candidata à Prefeitura de São Paulo pelo PMDB, a senadora Marta Suplicy (SP) foi a principal atração da convenção estadual da sigla neste sábado (24), na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), ao lado do vice-presidente da República e presidente nacional do partido, Michel Temer.

Em meio a um racha – apesar do discurso oficial de união -, a ex-petista foi recebida por militantes usando camisetas com seu nome, em clima de campanha eleitoral. Após votar na eleição do diretório, ela falou ao lado do secretário municipal da Educação, Gabriel Chalita, candidato do PMDB à prefeitura paulistana nas últimas eleições, que defende um apoio do partido à tentativa de reeleição do prefeito Fernando Haddad (PT).

Em seu discurso, Marta disse ter se sentido bem recebida no partido e agradeceu a “liderança” de Temer. “Me senti respeitada, acolhida, e percebi que tinha uma liderança forte ali”, afirmou. A ex-petista voltou a criticar o governo Dilma Rousseff, do qual foi ministra da Cultura (2012-2014). “O que eu percebo é um momento de crise muito séria no país”, disse. “Unidos, construiremos um novo Brasil, sob a liderança do Michel Temer.”

Questionada pela reportagem se o PMDB já a abraçou como candidata, Marta apenas sorriu e balançou a cabeça positivamente.

O vice-presidente, por sua vez, deu o tom de que o partido está unido em São Paulo. “Vocês têm ideia do que significa a unidade do PMDB de São Paulo para o PMDB nacional”, afirmou. E mandou um recado público: “A gente faz isso na área nacional, na área estadual e na área municipal, não é, Chalita?”.

Ecoando a retórica de que o partido está unido, Chalita disse que “a beleza do PMDB está em ouvir todos os lados, em não ter caciques”. Em entrevista após o evento, ele disse que o foco tanto dele como de Marta, neste momento, são os cargos que ocupam. Após ter buscado a Rede para estudar alternativas ao PMDB, caso o partido lance Marta, Chalita negou a movimentação.

Reeleito presidente estadual do PMDB, o deputado federal Baleia Rossi afagou o secretário da Educação em seu discurso, ressaltando que a candidatura dele em 2012 “foi fundamental” para a expansão do partido em São Paulo.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir