Esportes

Em disputa acirrada na bocha, brasileiros ficam com a prata

Uma medalha de prata conquistada com movimentos lentos e muito bem projetados, vinda da bocha, causou comoção na torcida que foi à Arena Carioca 2, no Parque Olímpico do Rio, na tarde desta segunda-feira (12). Foi a 15ª premiação de segundo lugar do Brasil nos Jogos Paraolímpicos.

O trio brasileiro Dirceu Pinto, Eliseu dos Santos e Marcelo dos Santos, bicampeões paraolímpicos na categoria BC4, perdeu para a Eslováquia por 4 a 2, após uma partida tensa em que a vantagem trocava de mãos a cada hora.

A comoção da torcida vinha da concentração e de aparente grande esforço dos jogadores para fazerem os arremessos. “Interessante demais de assistir e de conhecer mais do esporte. O empenho dos jogadores é lindo de se ver”, disse a auxiliar administrativa Ana de Souza Dias, na plateia.

Na disputa, só jogaram Eliseu e Marcelo, que são irmãos. Dirceu ficou na reserva. Os brasileiros ainda disputam medalhas nas competições individuais e em duplas, antes do fim dos Jogos.

Os irmãos também foram campeões parapan-americanos, em Toronto-2015. Além disso, os dois têm medalhas de ouro das disputas individuais de Londres-2012.

A modalidade BC4 é disputada por pessoas com enfermidades degenerativas, que causam comprometimento motor, ou por paralisados cerebrais graves. Alguns jogadores usam equipamentos para auxiliar no lançamento das bolas, mas os atletas não necessitam da assistência de outras pessoas. Dirceu, Eliseu e Marcelo possuem distrofias distintas.

Ainda na tarde desta segunda, Antônio Leme, Evani Soares silva e Evelyn de Oliveira fazem outra final de pares, na categoria BC3, para atletas com grande comprometimento motor e que podem contar com assistentes.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir