Sem categoria

Em desdobramento a ‘La Muralla’, PF faz buscas em gabinetes de magistrados e escritórios jurídicos

Há uma grande de agentes federais no Fórum - foto: divulgação

Há uma grande de agentes federais no Fórum – foto: divulgação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (9) a operação La Muralla 2, com o cumprimento de 15 mandados de busca e apreensão no gabinete de uma desembargadora e de um juiz no Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam), além de escritórios jurídicos de Manaus.

O trabalho, que iniciou ainda durante a madrugada, é um desdobramento da operação La Muralla 1, e visa aprofundar as investigações relacionadas à existência de um suposto esquema de negociações de decisões judiciais, envolvendo autoridades do Poder Judiciário do Amazonas para beneficiar integrantes de uma facção criminosa.

Suspeita de vender alvarás de soltura a traficantes, a desembargadora Encarnação Salgado é um dos alvos da operação. Agentes da PF estiveram não apenas no gabinete dela, na sede do Tjam, como em sua residência, na rua Duarte da Costa, no bairro Dom Pedro, Zona Oeste.

pf-na-casa-da-ES-Ricardo-Oliveira

A PF fez buscas na casa da desembargadora Encarnação Salgado, no no bairro Dom Pedro – foto: Ricardo Oliveira

Outro magistrado sob investigação é o juiz Luis Carlos Valois, da Vara de Execução Penais (VEP), no Fórum Ministro Henoch Reis.

O desembargador Flávio Pascarelli, corregedor e presidente eleito do Tjam, acompanhou o trabalho da PF, mas disse que não poderia dar detalhes, visto que a corregedoria nunca recebeu nenhuma denúncia contra os magistrados investigados. “É uma situação constrangedora, mas todos estão sujeitos à lei”.

Também estão sendo compridos mandados nas casas e escritórios dos advogados Luciana da Silva Terças, Flavícia Dias de Souza, Klinger da Silva Oliveira e Maria Gorete Terças de Oliveira.

A ação foi acompanhada pela Corregedoria e Ouvidoria da OAB-AM, além da Procuradoria de Prerrogativas da instituição. O presidente da seccional, Marco Aurélio Choy, destaca que procedimentos serão instaurados na Ordem a partir de eventuais condenações dos advogados investigados.

A Procuradoria de Prerrogativas da OAB-AM informa ainda que encaminhará as informações para o Conselho Federal da OAB analisar o caso, já que os mandados foram expedidos pela Justiça Federal.

Segundo a Superintendência da PF, os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal se Justiça (STJ), onde as investigações correm sob segredo de justiça. Todos os investigados serão intimados para prestar esclarecimentos na Polícia Federal ao longo do dia.

La Muralla
A primeira fase da La Muralla foi deflagrada em 20 de novembro do ano passado para desarticular o tráfico de drogas no Amazonas, sendo a facção criminosa Família do Norte (FDN) o principal alvo.

À época, foram cumpridos 127 mandados de prisões preventivas e 67 de busca e apreensão nos estados do Amazonas, Ceará, Rio Grande do Norte, Roraima e Rio de Janeiro (RJ); além de países como Peru, Colômbia, Venezuela e Bolívia.

Cerca de 400 policiais federais, 300 policiais militares do Batalhão de Choque e do Grupo Fera da Polícia Civil do Estado do Amazonas participaram da ação.

Nessa segunda fase, a ação contou com a participação de mais de 100 Policiais Federais, além de representantes do STJ e da Procuradoria Geral da República (PGR), que se deslocaram para a capital amazonense para compor algumas das equipes.

Outras informações serão repassadas após às 11h, em coletiva de imprensa na sede da PF.

Por equipe EM TEMPO Online

Texto atualizado às 13h30 para inserção e correção de informações.

 

1 Comment

1 Comment

  1. José nascimento

    9 de junho de 2016 at 16:36

    Já sabemos o que pode acontecer com esses aí,se tiverem de ser punidos no máximo uma penalidade de aposentadoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir