Política

Em defesa no Senado, Dilma cita ditadura e diz que o que está em jogo é a democracia

Afirmando que o que está em jogo são as conquistas dos últimos 13 anos e democracia no Brasil, a presidente Dilma Rousseff iniciou por volta das 9h40 desta segunda-feira (29) seu discurso de defesa no Senador Federal contra o processo de impeachment.

Depois de chegar ao Congresso Nacional, acompanhada do cantor Chico Buarque e do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a petista foi conduzida ao plenário pelo presidente do Senado, Renan Calheiros.

Sentada do lado esquerdo do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, que comanda a sessão, Dilma já começou a discursar, inicialmente por 30 minutos. Esse tempo, segundo Lewandowski, será prorrogado pelo tempo que a petista achar necessário.

O presidente do Supremo esclareceu no início da sessão que parlamentares [inclusive deputados], convidados, servidores e pessoas credenciadas poderão acompanhar toda a sessão, mas sem fazer qualquer tipo de manifestação, contrária ou a favor da petista. Cartazes e faixas também estão proibidos e qualquer tumulto fará com que a sessão seja suspensa até que a ordem seja estabelecida.

Na fase de perguntas, as que não tiverem relação com o processo ou as que induzirem resposta, não serão admitidas.

Com informações da Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir