Esportes

Em decisão dramática nos pênaltis, Brasil vence Austrália e vai à semi

O gol que sacramentou a vitória foi da lateral esquerda Tamires, que fez o Brasil ficar em 7 a 6 contra as australianas - foto: reprodução/Twitter Time Brasil

O gol que sacramentou a vitória foi da lateral esquerda Tamires, que fez o Brasil ficar em 7 a 6 contra as australianas – foto: reprodução/Twitter Time Brasil

Aos gritos de “eu acredito” da torcida no Mineirão, a seleção feminina de futebol do Brasil ganhou da Austrália nos pênaltis e avançou para a semifinal da Olimpíada. Na terça (16), a equipe brasileira enfrentará a Suécia, no Maracanã, na terça (16).

O gol que sacramentou a vitória foi da lateral esquerda Tamires, que fez o Brasil ficar em 7 a 6 contra as australianas. Depois dela, um pênalti de Kennedy foi defendido pela goleira Bárbara.

O único pênalti brasileiro que não entrou no gol foi da camisa 10 Marta, defendido pela goleira Williams.

A vitória teve gosto de revanche porque o time brasileiro havia sido eliminado da Copa do Mundo pelas australianas, por 1 a 0 no ano passado, nas oitavas de final.

A partida também aconteceu em Belo Horizonte, palco dos 7 a 1 na Copa de 2014.

Apesar de ter maior domínio de jogo e chutado quase três vezes mais ao gol, o time de futebol feminino do Brasil não conseguiu marcar no tempo regulamentar e prorrogação e ficou empatado em 0 a 0.

No primeiro tempo, as duas melhores chances de gol da seleção brasileira foram da atacante Debinha. Aos 15 minutos, ela desceu com velocidade ao ataque, chutou de fora da área, mas a goleira espalmou.

Aos 44, depois de uma tabela com Andressa Alves, Debinha mandou a bola para fora por cima do gol da Austrália.

O Brasil continuou no segundo tempo com boas chances de chutes a gol, mas não conseguiu acertar a rede. Já a Austrália teve a sua maior possibilidade de vitória em uma bomba chutada aos 41 do segundo tempo por Logarzo de fora da área, que explodiu no travessão.

Do lado de fora, o torcedor enfrentou engarrafamentos e longas filas para entrar no estádio. É a primeira vez que isso acontece nas partidas dos Jogos Olímpicos na capital mineira -mas nas três datas anteriores o Brasil não jogava.

No fim do primeiro tempo, houve gritos de “fora Temer” dentro do estádio, e também vaias aos que gritavam. Alguns torcedores entraram com cartazes que pediam a saída do presidente interino e não foram impedidos pela Polícia Militar.

Uma das pessoas que estavam com um desses cartazes antes do jogo era a estudante de engenharia química Karina Soares, 21, que disse querer “testar se há democracia” no país.

A permissão contrasta com o que aconteceu no sábado (6), quando a PM retirou do Mineirão 12 torcedores durante a partida entre Estados Unidos e França por causa de um protesto político.

Dois dias depois, um juiz federal concedeu uma liminar que permite que manifestações políticas sejam realizadas durante os Jogos. O Comitê Rio-2016 entrou com recurso, mas perdeu.

BRASIL

Bárbara; Fabiana (Poliana), Mônica, Rafaelle e Tamires; Formiga e Thaísa (Andressinha); Andressa Alves, Marta e Debinha; Beatriz. T.: Vadão

AUSTRÁLIA

Williams; Foord, Alleway, Kennedy e Kellond-Knight; Van Egmond; Kerr, Gorry, Catley (Logarzo) e De Vanna (Polkinghorne); Simon (Heyman). T.: Alen Stajcic

Cartões amarelos: Tamires, Marta e Andressa Alves (B); Alleway, Foord e Kennedy (A)

Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)

Árbitra: Carol Anne Chenard (CAN)

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir