Política

Em carta a deputados, Cunha admite erros e pede votos contra cassação

O deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) enviou uma carta aos deputados para expor seus argumentos de defesa e pedir que os colegas votem contra a cassação dele no plenário da Câmara.

Numa dos textos aos quais a reportagem teve acesso, ele admite que errou e “passou do ponto”, mas sustenta que estão buscando seu extermínio político para tentar abafar o processo de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff.

“Reconheço que errei e passei do ponto em muitos momentos, acirrando os confrontos e gerando uma reação corporativa”, escreveu. “Fizeram da busca do meu extermínio político uma falaciosa e injusta solução para os problemas do nosso país. Uma iniciativa cujo intuito foi exclusivamente fazer com que a opinião pública esquecesse a farta demanda pelo impeachment”, acrescentou.

O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) marcou para a próxima o dia 12 a sessão em que os deputados decidirão se o peemedebista deve ter o mandato cassado.

Além do comunicado direto aos colegas, Cunha criou um site contendo as peças de acusação e de sua defesa apresentadas tanto no Conselho de Ética da Câmara quanto no STF (Supremo Tribunal Federal), onde tramitam inquérito e uma denúncia contra o parlamentar, acusado de ser beneficiários do esquema de corrupção da Petrobras.

A reportagem apurou que aliados de Cunha vêm ligando para os deputados para pedir que não compareçam à sessão em que o futuro político dele será decidido. O próprio Cunha também tem entrado em contato com os colegas para solicitar apoio.

Em outra frente, parlamentares ligados ao peemedebista estão trabalhando para tentar adiar a votação, pelo menos, para o dia 19, quando acreditam que haverá menos deputados em Brasília, já que muitos estarão concentrados nas campanhas da eleição municipal.

Alguns líderes partidários já foram procurados e estão consultando suas bancadas sobre a possibilidade de apoiar a transferência da sessão para o dia 19.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir