Economia

Em assembleia, trabalhadores da construção civil decidem aguardar regularização por parte das empresas

Custódio solicitou aos trabalhadores um pouco de paciência e estabeleceu um prazo para as empresas efetuarem o pagamento - foto: divulgação/ colaborador EM TEMPO Online

Custódio solicitou aos trabalhadores um pouco de paciência e estabeleceu um prazo para as empresas efetuarem o pagamento – fotos: divulgação/ colaborador EM TEMPO Online

Trabalhadores terceirizados da construção civil realizaram, na manhã desta quarta-feira (16), mais um protesto cobrando o pagamento do décimo terceiro salário. A manifestação foi liderada pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e Montagem do Estado do Amazonas (Sintracomec-AM), Cícero Custódio, que reuniu a categoria às 5h30 na avenida Coronel Teixeira (Estrada da Ponta Negra), Zona Oeste de Manaus.

Durante a assembleia, Custódio solicitou aos trabalhadores um pouco de paciência e estabeleceu um prazo para as empresas efetuarem o pagamento. “Como, por lei, as empresas podem pagar o décimo aos trabalhadores até o dia 20 de dezembro, vamos aguardar. Caso o prazo não seja cumprido, iremos paralisar geral no dia 21, por tempo indeterminado”, ressaltou Custódio.

Os trabalhadores concordaram com o prazo e voltaram ao serviço às 8h30

Os trabalhadores concordaram com o prazo e voltaram ao serviço às 8h30

“Dos quase três mil trabalhadores dessas terceirizadas, 500 funcionários receberam seus direitos em dia. São 60 empresas terceirizadas atuando, sendo que há sempre uma irregularidade, seja o pagamento em atraso, cesta básica, outras que não pagaram nem a primeira parcela do décimo, enfim”, salientou o sindicalista, informando também que o prazo estabelecido aos empresários para o pagamento foi formalizado por meio de documento que será apresentado ao Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM).

Os trabalhadores concordaram com o prazo e voltaram ao serviço às 8h30, segundo Cícero Custódio.

Por Conceição Melquíades

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir