Esportes

Em 1º teste antes da Copa América, Brasil vence e Dunga mantém 100%

No primeiro teste com o elenco que vai disputar a Copa América, que será realizada entre junho e julho, no Chile, o Brasil venceu o México por 2 a 0 na tarde deste domingo (7), em amistoso realizado no estádio do Palmeiras, em São Paulo.

Com mais esta vitória, o técnico Dunga manteve a sua invencibilidade nesta sua segunda passagem pela seleção brasileira, com nove vitórias em nove jogos desde assumiu o comando após a última Copa do Mundo.

Na partida, que também marcou o retorno do time nacional ao país depois do vexame no Mundial no ano passado, o Brasil sentiu a ausência de Neymar e teve muitas dificuldades de criar as jogadas no campo de ataque. Assim, o México, que estava com um time reserva, dominou boa parte do confronto.

Mesmo assim, os brasileiros construíram o resultado ainda no primeiro tempo, com gols de Philippe Coutinho e Tardelli. Já na etapa final, com as muitas alterações dos dois lados, o jogo caiu muito de qualidade e poucas chances foram criadas até o apito final.

Agora, o Brasil ainda vai disputar mais um amistoso antes da sua estreia na Copa América, no dia 14 de junho, contra o Peru. Na próxima quarta (10), enfrenta Honduras, em Porto Alegre.

O JOGO

Desde o começo do amistoso, o Brasil demonstrou o seu velho problema no setor de meio de campo. O time nacional novamente sentiu a falta de um jogador que fizesse a transição entre defesa e ataque e criasse as jogadas de trás. Por isso, jogou recuado para apostar nos contra-ataques puxados pelos três meias que tinham a velocidade como principal característica (Fred, Willian e Philippe Coutinho).

Mesmo assim, antes de fazer dois gols ainda no primeiro tempo, a seleção brasileira havia ameaçado o goleiro Corona somente em duas jogadas de bola parada, quando David Luiz e Fernandinho quase marcaram de cabeça após cobranças de escanteio logo nos primeiros minutos.

Além disso, a boa movimentação de Diego Tardelli, que atuou como centroavante, mas com muita mobilidade pelos lados do campo, também foi o que o Brasil conseguiu de bom para dificultar a marcação mexicana.

E, quando a torcida brasileira presente no estádio já ensaiava algumas vaias durante a troca de passes da seleção brasileira, a equipe nacional conseguiu abrir o placar graças à uma jogada individual de Philippe Coutinho. Aos 27 min, o camisa 21 recebeu passe dentro da grande área, deu belo giro de corpo sobre um marcador mexicano e, mesmo sem ângulo, chutou para fazer 1 a 0.

O gol deu mais segurança para os brasileiros na partida, que buscaram ficar mais com a posse de bola depois da vantagem no marcador. E, novamente após uma descida pelo lado esquerdo do ataque, ampliou o placar antes do intervalo.

Aos 36 min, Elias recebeu passe na grande área, deu bela finta em Rafa Márquez e serviu Tardelli, que só empurrou a bola para o gol vazio.

Atrás do resultado, o México veio dos vestiários com três substituições, enquanto o Brasil só ganhou a entrada de Fabinho no lugar de Danilo, que sentiu dores.

Porém, com o placar praticamente definido, somado às várias substituições nas duas seleções, o jogo foi disputado em um ritmo muito menor no segundo tempo e poucas chances foram criadas até o apito final.

Nem as entradas de Firmino, Everton Ribeiro e Douglas Costa deram mais movimentação e presença ofensiva ao time brasileiro, que se limitou somente a administrar o placar nos minutos finais.

BRASIL
Jeferson, Danilo (Fabinho), David Luiz, Miranda, Filipe Luís; Fernandinho, Elias (Casemiro), Fred (Felipe Anderson), Willian (Douglas Costa), Philippe Coutinho (Éverton Ribeiro); Diego Tardelli (Roberto Firmino).
T.: Dunga

MÉXICO
Corona, Corral (Flores), Ayala (Salcedo), Rafa Márquez; Cata Domíguez, Aldrete, Osuna (Fabian), Guemez (Medina), Tecatito Corona (Montes); Herrera, Jiménez (Vuoso).
T.: Miguel Herrera

Estádio: do Palmeiras, em São Paulo (SP)
Árbitro: Julio Cesar Quintana Rodriguez (PAR)
Público/renda: 34.694 pagantes / R$ 6.737.030,00
Cartões amarelos: Guemez, Corral, Rafa Márquez (M)
Gols: Philippe Coutinho, aos 27 min do 1º tempo; Diego Tardelli, aos 36 min do 1º tempo

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir