Eleições 2016

Eleições no primeiro turno foram um sucesso, diz TRE-AM

Para o presidente do TRE-AM, o desembargador Yedo Simões, esse pleito servirá de modelo para as próximas eleições, porque ocorreu de forma tranquila e com poucos incidentes - foto: Marcio Melo

Para o presidente do TRE-AM, o desembargador Yedo Simões, esse pleito servirá de modelo para as próximas eleições, porque ocorreu de forma tranquila e com poucos incidentes – foto: Marcio Melo

Ao menos 34 mil pessoas trabalharam em todo o Estado do Amazonas no primeiro turno destas eleições para que o pleito ocorresse dentro da normalidade na capital e em todos os municípios do interior. A declaração é do presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), desembargador Yedo Simões, em coletiva de imprensa, no final da tarde de ontem para apresentar um balanço geral sobre o pleito.

À ocasião, o desembargador agradeceu ao trabalho de todos os servidores do tribunal pelo trabalho e tempo dedicado às atividades eleitorais e aos órgãos parceiros, como a Polícia Federal, Secretaria Municipal de Educação (Semed), Secretaria de Estado Educação (Seduc), Eletrobras Amazonas Distribuição, Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), Manaustrans e Sinetran.

Para Simões, esta é uma eleição que servirá de parâmetro para as próximas. “É um pleito que servirá de modelo, porque chegamos ao fim do primeiro turno sem nenhum incidente que possamos considerar graves, apenas pequenos incidentes corriqueiros em relação a uma eleição desse porte com interesse localizado em cada município”, afirmou.

O procurador Regional Eleitoral, Victor Riccely, adiantou que o trabalho do Ministério Público não termina agora. “Há diversas infrações e apurações que estão sendo registradas e todos esses fatos serão apurados e poderão, casos constatados, punir os infratores”, adiantou. Para ele, este é o momento para coibir o “caixa 2”. Riccely disse ainda que após o resultado das eleições, deverão ser investigadas as eventuais arrecadações ilícitas e garantiu que já há vários mecanismos e informações para coibir e punir os candidatos que tenham arrecadado recurso de forma irregular.

Sobre o crime eleitoral mais comum nas eleições – o derrame de santinhos – o procurador afirma que as pessoas identificadas serão penalizadas. “Esse monitoramento eletrônico tem como principal finalidade fiscalizar e inibir que candidatos continuem com uma prática, infelizmente, muito comum que é o ‘derrame de santinhos’, que polui visualmente o ambiente. Essa conduta é crime. Essa situação é punível. Tanto o cabo eleitoral quanto a pessoa que faz o derrame, quanto o próprio candidato também pode responder criminalmente”, explicou.

Apreensão de dinheiro

Ao longo do dia, outras coletivas de imprensa apresentaram os balanços das primeiras horas das eleições. Em uma das reuniões, foi confirmado que mais de meio milhão de reais foi apreendido na manhã de ontem, em oito municípios do interior do Amazonas, possivelmente para a compra de voto de eleitores no pleito. Segundo a assessoria do Ministério Público Federal (MPF), o valor inclui dinheiro em espécie, cheques e litros de gasolina. Houve também apreensão de transporte irregular de eleitores nas cidades de Tefé e Itapiranga.

O município com maior valor apreendido foi o de Anamã, cujos valores somam R$ 70 mil em espécie e R$ 154 mil em cheques. Em Humaitá, o valor total contabilizou R$ 143 mil. Na cidade de Alvarães foram apreendidos R$ 40 mil; em Parintins, R$50 mil; em Novo Aripuanã, o valor chegou a R$ 16,2 mil. No município de Ipixuna, os valores presos foram R$ 10 mil em gasolina e em Iranduba, R$ 7 mil. Também foi realizada uma apreensão em Itamarati no valor de R$ 21,7 mil.

A assessoria esclarece que a apreensão de valores não significa que eram, necessariamente, para a compra de votos, mas que todos os casos serão investigados para que a Justiça Eleitoral tenha conhecimento da origem desses recursos. Além destas ocorrências, o MPF ainda apreendeu um barco em Tefé que realizava o transporte de mais de 200 eleitores e nove ônibus em Itapiranga.

Em Parintins, o valor de R$ 50 mil apreendido estava em poder do empresário Clemilton Moriá, presidente do PRB municipal.

Equipamentos com defeito

Em todo o Amazonas, 14 urnas apresentaram problemas técnicos e foram substituídas por equipamentos reservas. Deste total, dez urnas estavam em Manaus e quatro no interior. Segundo Messias Andrade, diretor geral do Tribunal Regional Eleitoral, seis destes equipamentos não possuíam, de fato, problema técnico, apenas havia dificuldade com a leitura da biometria. Andrade garantiu que o andamento do voto no pleito aconteceu dentro do que foi previsto e planejado pelo TRE. “As ações foram bem planejadas e muito bem
coordenadas”, ressaltou.

Questionado sobre demais imprevistos mais graves no interior do Estado, ele citou o município de Tonantins, que ficou sem energia elétrica. No entanto, garantiu que as urnas possuíam bateria suficiente para suportar o dia inteiro do pleito. Além disso, reforçou que cada equipamento possui uma bateria extra, com oito horas de duração, para garantir a tranquilidade da votação.

Em relação ao transporte público, Thiago Balbi, superintendente da Superintendente Municipal dos Transporte Urbano (SMTU) afirmou que as viagens de coletivos funcionaram dentro da normalidade. Sobre as ocorrências registradas, ele afirma que entre as principais estava uma que   indicava que haviam coletivos públicos parados no T4 (Cidade Nova), na Zona Norte e muitos usuários na principal plataforma, que atende cinco linhas de ônibus. A segunda denuncia possui a mesma reclamação de ônibus estacionados, mas desta vez nas proximidades do shopping Via Norte, no Nova Cidade. “As informações que a gente recebe é que há poucas pessoas nas paradas de ônibus”, disse Balbi.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir