Eleições 2016

Eleições em Manaus têm fila, problemas com a biometria e prisão por ‘derrame’ de santinhos

Muitos eleitores preferiram votar pela manhã - foto: Joandres Xavier

Muitos eleitores preferiram votar pela manhã – foto: Joandres Xavier

As eleições em Manaus iniciaram tranquilas, porém, ao longo das primeiras horas de votação os problemas começaram a aparecer, tanto em algumas seções específicas, por conta da biometria, como no trânsito com alguns ônibus parados em terminais e devido a problemas de boca de urna.

Entre estes registros, problemas com o leitor digital da seção 621, da 2ª Zona, na Universidade Estadual do Amazonas (UEA) da Darcy Vargas. Técnicos do Tribunal Regional Eleitoral (TER) afirmaram que o equipamento seria substituído. A coordenadora do colégio eleitoral, Paula Siqueira de Paula, disse que 80% dos eleitores dessa seção não conseguem confirmar a biometria, e depois de quatro testes assinam como no modelo antigo.

Eleitores também relataram dificuldade nas seções 535 e 650.

Já na seção 462 da Escola Estadual Agnelo Bittencourt, Santo Agostinho, Zona Oeste, quatro pessoas não tiveram a digital reconhecida e tiveram que votar manualmente.

No Parque do Idoso, Vieiralves, Zona Centro-Sul, as sessões 649 e 694 apresentaram lentidão na biometria na hora de reconhecer a digital, atrasando a votação.

Muita demora na hora de votar também foi a reclamação dos eleitores da Escola Estadual Alice Salerno Gomes de Lima, localizada no Parque Dez. A estudante Tamara Teixeira, 25, disse que ficou por volta de 25 minutos na fila aguardando sua vez de votar na seção 607.

“O pessoal do TRE está dizendo que a demora é por conta de alguns eleitores estarem confusos, mas também está muito desorganizado”, relatou. As seções 552, 563 e 451 da Escola Estadual Leonilia Marinho foram transferidas para a E. E. Alice Salerno, que fica bem ao lado.

Já na escola Reinaldo Thompson, bairro Coroado, Zona Leste, a dona de casa Maria Tereza dos Santos, 58, disse estar indignada com a falta de competência do TRE-AM. “Além das urnas não funcionarem, alguns fiscais são desinformados. Passaram tanto tempo treinando para nada. Preciso votar e voltar para casa, tenho um filho com necessidades especiais, ele não consegue andar, o deixei com a minha vizinha e vim ter raiva”, frisou.

O aposentado Geraldo Siqueira, 72, informou que, apesar da multidão de pessoas nas filas, teve o direito preferencial assegurado pelos fiscais do TRE. “Às vezes, tem gente que se estressa na fila, começa a gritar e insultar os trabalhadores, não entendem que essas pessoas estão aqui de favor, porque nenhuma delas é pago para ser fiscal ou mesário”, comentou.

Prisão
Além dos problemas em algumas seções, também foi confirmada a prisão de um cabo eleitoral identificado como Agnelo Pereira do Nascimento, na avenida Amazonas, bairro Compensa, Zona Oeste, por ‘derrame de santinho’. Ele foi preso por um tenente da Força Tática e levado para a Polícia Federal.

Algumas ruas e avenidas da cidade também foram tomadas por santinhos, como avenida Codajás, no bairro Petrópolis, Zona Centro-Sul.

sujeira

Para os eleitores falta bom senso e sobra irresponsabilidade para quem comente esse tipo de crime.

“Toda eleição é isso e não vemos fiscalizações para combater esse crime. Fica uma sujeira só nas ruas e na frente das casas. O pior é que a prefeitura não passa no outro dia para limpar e esses santinhos fica dias e dias nas vias. Quando chove fica pior, porque eles colam. Hoje à noite, eu mesmo vou ter que limpar a frente da minha casa que tem comércio na parte debaixo para poder abrir amanhã”, disse a comerciante Priscila Santos.

Por equipe EM TEMPO Online

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir