Eleições 2016

Eleições 2016: Serafim tem como proposta destravar a economia e gerar empregos em Manaus

Serafim, que já foi prefeito de Manaus no período de 2004 a 2008, comentou que durante sua gestão na administração pública municipal cometeu erros, mas os assume “tranquilamente”  - foto: Márcio Melo

Serafim, que já foi prefeito de Manaus no período de 2004 a 2008, comentou que durante sua gestão na administração pública municipal cometeu erros, mas os assume “tranquilamente” – foto: Márcio Melo

O candidato à prefeitura de Manaus, Serafim Corrêa (PSB), afirmou na manhã desta sexta-feira (12), durante entrevista a uma rádio local, que, se eleito fará uma gestão que destrave a economia para a geração de empregos na capital. O prefeiturável garantiu que uma de suas prioridades será agilizar o processo de instalação de empresas na cidade.

Serafim, que já foi prefeito de Manaus no período de 2004 a 2008, comentou que durante sua gestão na administração pública municipal cometeu erros, mas os assume “tranquilamente”.

“Quando eu governei, pensei nas próximas gerações e não nas próximas eleições. Temos 62 candidatos unidos, determinados, que sabem o que querem. Nós temos que oferecer opção ao povo de Manaus, que é quem vai decidir a eleição. Estou nessa luta, determinado, com uma linha de não ofender ninguém. Não agredir ninguém. Não entrar em baixaria. Mostrar o que fiz, a importância disso e olhar para frente”, comentou.

O candidato também lembrou das obras que realizou em sua gestão, como a Maternidade Moura Tapajós. “Vamos ver do ano de 1988 para cá. Quem fez maternidade? Eu fiz uma onde já nasceram 40 mil crianças. Ou seja, se você juntar estas crianças e as 40 mil mães, tem que abrir duas Arenas da Amazônia. Quem tem isso para mostrar? Depois da minha gestão, nenhuma outra foi inaugurada. Devemos comparar também os recursos. O que eu tinha e o que meu sucessor e o atual tiveram. Os dados estão disponíveis na internet para quem quiser ver”, disse.

Entre as prioridades de Serafim, também está a transparência. “Cada um tem uma característica de governar. Entendo que o primeiro ponto é a transparência. Não podemos ser a 25º capital neste quesito. Comigo, o símbolo da prefeitura é o brasão. Eu não fiz marca pessoal, todos os ex-gestores, além do atual, fizeram suas marcas. Isso não existe e ninguém diz nada”.

Para o candidato, a marca da nova gestão será a Saúde e a Educação. Segundo o candidato, as duas devem estar “entrelaçadas”. “Saúde e Educação têm que estar entrelaçadas. Temos que nos preocupar com isso. São 220 mil alunos na rede municipal. Na minha gestão, se eleito, faremos exames básico de sangue, urina, fezes, vista, odontológico para mudar o perfil destas gerações. Não estou preocupado se vou ganhar ou perder a eleição, até porque não é essa questão do homem público. Ganhar ou perder faz parte da vida”.

Por equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir