Política

Eleição para Conselheiro Tutelar em Manaus é marcada por problemas e dificuldades

Pleito para Conselheiro Tutelar foi marcado por atrasos e confusão - Foto: Divulgação

Pleito para Conselheiro Tutelar foi marcado por atrasos e confusão – Foto: Divulgação

Dificuldades em encontrar as sessões de votação, ausência de nomes em listagem, demora na instalação de urnas e escolas fechadas, eleitores e candidatos às 45 vagas de conselheiros tutelares de Manaus e 45 suplentes da capital denunciaram falhas na primeira eleição unificada para conselheiro tutelar, realizada durante a manhã deste domingo (4).

Os problemas foram acompanhados por nove promotores do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), que poderão pedir a impugnação do pleito nesta segunda-feira. A estimativa era que 180 mil eleitores comparecessem aos 146 pontos de votação para escolher os 90 candidatos entres os 166 inscritos.

A autônoma Rejane Monteiro, 38, informou que faltou organização durante a eleição. “Não acharam meu nome. Sempre votei na sessão 327 e foram encontrar meu nome, escrito errado ainda, na sessão 448. E eu não fiz ainda o cadastro de biometria o TRE para justificar o erro”, disse.

O pleito estava marcado para iniciar às 8h, mas em três escolas (Arthur Soares, Letícia Campos e Juraci Batista), todas situadas no bairro Cidade Nova, por exemplo, a votação só iniciou após às 11h, por conta do atraso na chegada das urnas.

A assessoria jurídica da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) e informou que Somente no Centro Social Urbano (CSU) do bairro Parque 10 de Novembro, Zona Centro-Sul, aproximadamente 4 mil pessoas eram esperadas para votar.

Na noite deste domingo, as equipes do MPE deverão se reunir para decidir se pedirão nesta segunda-feira a impugnação do pleito.

Por Ive Rylo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

grupo
Subir