Sem categoria

Efeitos climáticos e queimadas levam Amazonas a decretar emergência em 12 municípios

José Melo e Arthur Neto, com representantes das prefeituras dos municípios da Região Metropolitana - foto: divulgação

José Melo e Arthur Neto, com representantes das prefeituras dos municípios da Região Metropolitana – foto: divulgação

O governador José Melo (Pros) assinou na manhã desta terça-feira (13) decreto de emergência em 12 municípios do Amazonas, incluindo Manaus. O ato se deve a efeitos climáticos, como a baixa pluviosidade e as constantes queimadas em área florestal, que vêm ocasionando muitos prejuízos à população, tanto materiais como de saúde.

A assinatura ocorreu durante reunião para discutir ações emergenciais de prevenção aos incêndios, que afetam tanto o interior quanto a capital do Estado. O ato foi realizado no auditório da sede do governo, na avenida Brasil, Compensa 2, Zona Oeste, e contou com a presença do prefeito de Manaus, Artur Neto, e dos outros 11 municípios afetados pela medida.

Durante a reunião também foi apresentado o Plano Estratégico e as Ações Emergenciais de Prevenção e Controle às Queimadas e Incêndios Florestais.

“As ações se darão no sentido que se possa minorar o que está acontecendo hoje e também construir uma situação diferente para o futuro”, argumentou o governador.

O decreto de Situação de Emergência tem como base o parecer técnico elaborado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas e a Defesa Civil do Estado, considerando, entre outros fatores, “os eventos climatológicos de larga escala que teve como efeito negativo a redução significativa da precipitação pluviométrica na região Amazônica”.

As Ações Emergenciais de Prevenção e Controle a Queimadas e Incêndios Florestais vêm sendo realizadas pelo Grupo Estratégico instalado no Estado.

Entre as estratégias de prevenção estão a Criação do Centro Integrado de Monitoramento Ambiental, formado pela Sema, Batalhão Ambiental, Bombeiros, Defesa Civil e as prefeituras municipais, bem como a implantação da Sala de Situação de Controle e Monitoramento Ambiental, ambos funcionando na sede da Sema.

O governador José Melo destacou que, além do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil, o Estado vai passar a contar também com os chamados ‘brigadistas’, pessoas voluntárias que foram treinadas para ajudar no combate aos focos de incêndio.

Melo também disse que tanto a Secretaria de Estado da Saúde do Amazonas (Susam) quando as secretarias de saúde dos municípios envolvidos estão preparadas para o atendimento aos casos de demandas relacionadas à fumaça e outras consequências das queimadas.

“Por conta disso tivemos de fazer o decreto de emergência. Para que os municípios possam ter um arcabouço jurídico legal para tomar medidas emergenciais e excepcionais para enfrentar essas situações”.

José Melo argumentou que, de janeiro até o momento, já foram registrados mais de mil focos de incêndio no Estado, e que dados do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) apontam chuvas com menor intensidade para o futuro, o que, segundo o governador, ignifica que será preciso conviver ainda com um calor muito forte.

“Isso implica que nos temos de trabalhar, cada vez mais, para diminuirmos os focos de fogo, para que se possa conviver com o calor, mas com menor intensidade de fumaça”.

A vigência do decreto será pelo prazo de 90 dias, com abrangência sobre os municípios de Manaus, Autazes, Caapiranga, Careiro, Careiro da Várzea, Iranduba, Itacoatiara, Manacapuru, Manaquiri, Novo Airão, Presidente Figueiredo e Rio Preto da Eva. Com exceção de Caapiranga, todos os municípios alcançados pelo decreto estão na Região Metropolitana de Manaus.

De acordo com José Melo, ainda não se sabe o custo exato das ações, mas deve girar em torno de R$ 5 milhões.

O prefeito de Manaus, Arthur Neto, ressaltou que apesar da cidade não estar entre as que mais contribuem com os as queimadas, a Prefeitura vem fazendo um trabalho forte de prevenção e controle.

“Manaus se sente obrigada a entrar nessa luta com a formação de brigadistas. Nosso trabalho, em conjunto com o Corpo de Bombeiros, tem conseguido atender a quase 100% das demandas em relação aos focos de queimadas”, disse Arthur Neto, ao ressaltar que a Prefeitura também vem trabalhando com campanhas educativas.

Por equipe EM TEMPO Online

Texto atualizado às 13h para inserção de informações

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir