Economia

É possível se divertir no Carnaval com pouco gasto, diz Corecon-AM

Levar uma geleira de casa com bebidas é outra dica do economista – Márcio Melo

O Carnaval é um dos períodos mais festivos do calendário nacional. Independentemente da condição financeira, boa parte dos brasileiros opta por se divertir em bailes, blocos ou desfiles de escolas de samba, como uma forma também de aliviar as pressões do cotidiano.

Considerando o processo de recuperação da economia, os economistas recomendam prudência financeira no período. “É possível, sim, se divertir, gastando pouco”, afirma o presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon-AM), Nelson Azevedo.

O especialista dá algumas dicas simples: procure soluções caseiras na confecção da sua fantasia e adereço, que sofrem um aumento significativo nesta época do ano. “Já que o uso será apenas por este período, opte por alternativas mais baratas. Adapte alguma roupa antiga que possua em seu armário. Além de fazer uma fantasia exclusiva, poderá estar economizando recursos. Use e abuse da criatividade”, disse.

Ao sair para brincar nos blocos, Nelson Azevedo orienta evitar ir de carro. Além dos preços abusivos cobrados por flanelinhas, corre-se o risco de ter o veículo avariado. “Também se torna inviável para os que gostam de consumir bebidas alcoólicas durante a brincadeira. Junte seus amigos e vá de ônibus ou divida um táxi, podendo assim brincar com segurança e economia sem riscos para o brincante ou para seu veículo”, argumentou.

Ele observou ainda que, antes de sair para brincar, é bom o folião alimentar-se e hidratar-se bastante, uma vez que a venda de alimentos na rua, além de cara, não sofre fiscalização da vigilância sanitária. “Portanto, cuide-se antes, para não gastar com remédios depois”, afirmou o economista.

Levar uma geleira de casa com bebidas é outra dica do economista, diante do alto custo de bebidas durante as festas carnavalescas, que podem ser superior a 400% em relação a períodos normais do ano.

Prudência

Para o presidente do Corecon, não é prudente gastar todo o dinheiro do mês ou até de economias de meses ou anos como se o Carnaval fosse a última festa do planeta.

“O ano ainda terá mais dez meses pela frente. Estamos em fase de estabilização para a recuperação da economia, mas ainda falta muito para estarmos em plena atividade. Cuide de seus recursos e economize um pouco para não lhe faltar nada no futuro”, adverte, ao enfatizar ainda que, para quem não curte Carnaval, há uma série de lugares para ir, longe da folia da capital amazonense.

Antes de sair de casa, pesquise as opções e preços. E se puder, leve o seu lanche para não gastar mais.

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir