Dia a dia

Dupla é presa por latrocínio de empresário no Armando Mendes

A dupla foi indiciada por latrocínio, corrupção de menores e associação criminosa - foto: Luís Henrique

A dupla foi indiciada por latrocínio, corrupção de menores e associação criminosa – foto: Luís Henrique

O foragido da justiça Hycalo Fabrício Anjos Ferreira, 19, e o comparsa Jonas Tavares de Souza, 18, foram apresentados na manhã desta segunda-feira (6), na sede da Delegacia Geral, na Zona Oeste de Manaus, por envolvimento no latrocínio (roubo seguido de morte) do empresário Francisco Marques de Lima, 59, no dia 18 de maio deste ano, no bairro Armando Mendes, Zona Norte da cidade.

Hycalo foi preso na última quinta-feira (2), na residência dele, situada no mesmo bairro onde ocorreu o crime, e Jonas foi preso na sexta-feira (3), também no Armando Mendes.

De acordo com o delegado titular do 25º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Cicero Tulio, no dia do crime, o empresário estava saindo de sua distribuidora com um valor de R$ 16 mil que seria depositado em um banco, porém, no momento que ia entrar no carro, foi abordado por Hycalo e por um suspeito que segue foragido. A dupla desceu da motocicleta, efetuou os tiros na vítima, em seguida pegou o dinheiro e fugiu.

“Logo após o crime conseguimos identificar os criminosos, por meio de conversas no Facebook de Hycalo.  Na rede social, ele conta com riquezas de detalhes para um adolescente de 17 anos sobre latrocínio. O adolescente foi ouvido e afirmou a participação de Hycalo, em seguida conseguimos prendê-lo”, disse Cicero Tulio.

Conforme o delegado, Jonas faz parte da mesma quadrilha de Hycalo, e foi ele quem forneceu as munições que foram usadas na morte do empresário. O adolescente também fazia intermediações de munições para terceiros, após ser ouvido ele foi liberado.

“As investigações irão continuar, precisamos identificar o restante da quadrilha. Não descartamos a hipótese do envolvimento de um funcionário da distribuidora”, disse o delegado.

Hycalo cumpria pena no regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e estava foragido desde do dia 14 de maio deste ano.

A dupla foi indiciada por latrocínio, corrupção de menores e associação criminosa. Após os procedimentos cabíveis os suspeitos serão levados para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da capital.

Por Mara Magalhães

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir