Dia a dia

Duas semanas após reforma, praça da Saudade já sofre com depredação

A revitalização da Praça da Saudade ocorreu no dia 5 deste mês, mas já há sinais de pixação em diversos locais e depredação de árvores - foto: Ricardo Oliveira

A revitalização da Praça da Saudade ocorreu no dia 5 deste mês, mas já há sinais de pixação em diversos locais e depredação de árvores – foto: Ricardo Oliveira

Um pouco mais de duas semanas após ser revitalizada, a praça 5 de Setembro, conhecida como praça da Saudade, no Centro, já sofre com a depredação e falta de cuidado dos usuários. De acordo com denúncias de frequentadores do local, algumas colunas estão pixadas e parte da arborização foi depredada. Segundo comerciantes que trabalham no entorno da praça, essa não é a primeira vez que o espaço é depredado e dizem que não há segurança no local para inibir a ação dos vândalos.

O gerente de parques da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semmas), Paulo Vitor Duarte, destacou que a última revitalização na praça da Saudade ocorreu no dia 5 deste mês. Na ocasião, foram feitos o manejo da arborização, capinação, revitalização do jardim, substituição de luminárias e plantio de mudas. “Esse monumento é alvo de constantes pichações, não só esse monumento, mas as 14 pilastras que circundam a praça. Uma equipe da Semmas, de dois em dois meses vai até a praça e dá manutenção nessas pilastras. Tudo isso requer uma mobilização, uma mão de obra e também material especial para limpar esses monumentos”, disse.

Paulo lamentou a depredação. Ele comentou que já teve situações em que a praça foi revitalizada num dia e no outro já estava depredada. Ele não soube informar qual seria o prejuízo financeiro aos cofres públicos, mas ressaltou que depredar patrimônio público é crime e o responsável pode sofrer punições. “A gente sempre orienta aos moradores e comerciantes que denunciem essas depredações, porque isso é crime, que gera multa que pode ser convertida em serviço comunitário ou reclusão de seis meses a um ano. O prejuízo não sei dizer exato, mas somente esse ano já revitalizamos quatro vezes essa mesma praça e, claro, utilizamos muitos materiais e mão de obra”, comentou.

Um morador que preferiu não se identificar, disse que a depredação ocorre sempre pelas mesmas pessoas. Porém, o medo de denunciar é grande. “Esse ato de vandalismo é cometido sempre pelas mesmas pessoas, mas a gente não pode falar nada porque são pessoas envolvidas com drogas que não tem nada a perder. É uma pena que isso aconteça, porque essa praça é muito bonita e recebe muitos turistas que costumam tirar fotos por aqui”, disse.

Moradora das proximidades da praça, a aposentada Maria Moreira da Silva, 59, disse que são raras as vezes que sai de casa para passear na praça. Ela afirma que não é por falta de vontade, mas por medo dos usuários de drogas que frequentam o local.

“Aqui a gente vê de tudo, bêbados, pessoas consumindo entorpecentes, vândalos que quebram tudo, mas também têm as pessoas de bem, de família, estudantes que passeiam por aqui. Algumas pessoas têm coragem de frequentar, mas eu não, porque tenho muito medo de ser assaltada. Eu, como moradora e como cidadã, gostaria que as pessoas respeitassem esse espaço público, porque é um bem de todos”, comentou.

Por Michelle Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir