Dia a dia

DPE reduz tempo de atendimento ao incentivar conciliações e mediações

Em 2015, esses atendimentos somaram 1.419, o equivalente a 28,66% do total - foto: divulgação

Em 2015, esses atendimentos somaram 1.419, o equivalente a 28,66% do total – foto: divulgação

A solução de conflitos na área de Direito de Família representa a maioria dos atendimentos realizados pela Coordenadoria de Apoio Técnico Psicossocial da Defensoria Pública do Estado (DPE-AM). Do total de 730 pessoas assistidas no primeiro trimestre de 2016 pela Coordenadoria, composta por assistentes sociais e psicólogas, em torno de 52%, ou 379 atendimentos, resultaram em audiências, mediações e conciliações relacionadas à área de Família. Em 2015, esses atendimentos somaram 1.419, o equivalente a 28,66% do total e só ficaram atrás dos casos relacionados à guarda de crianças, que representaram 32,86% dos 4.939 atendimentos realizados pela Coordenadoria no ano passado.

De acordo com a coordenadora do núcleo Psicossocial da DPE-AM, Zuila Folhadela, a realização de audiências, conciliações e mediações é um bom indicador de que grande parte dos conflitos pode ser solucionado a partir do diálogo, evitando o caminho judicial para buscar uma solução, o que demandaria processo muito mais longo. O novo Código de Processo Civil (CPC), que entrou em vigor no início de abril, inclusive incentiva a prática. O Artigo 3° do novo CPC afirma que a conciliação, a mediação e outros métodos de solução consensual de conflitos devem ser estimulados pelas partes e juízes.

Além de manter núcleos de Serviço Social e Psicologia na unidade da DPE-AM da rua 24 de maio, 321, Centro, a Coordenadoria de Apoio Técnico Psicossocial mantém assistentes sociais nas unidades da Defensoria Pública nos bairros Compensa e Alvorada, nas Zonas Oeste e Centro-Oeste, respectivamente, e nos shoppings Via Norte e Cidade Leste, nas Zonas Norte e Leste.  Também atende encaminhamentos oriundos das unidades descentralizados da Defensoria Pública onde não há assistentes sociais e psicólogos permanentes, abrangendo tanto demandas da área de Família, Criminal e Cível quanto de Defensorias Especializadas como a de Saúde, de Direitos Humanos, do Consumidor, Fundiário, Mulheres, Idosos e Ações Coletivas, entre outras.

“Temos uma atuação multidisciplinar desde o primeiro atendimento, acompanhando os assistidos nos desdobramentos de suas demandas, como nas conciliações, orientações e encaminhamentos, promovendo todas as ações destinadas à família e ao indivíduo que se encontram com seus direitos violados, em vários aspectos, como abandono, maus tratos e violência doméstica, entre outros”, afirmou Zuila Folhadela.

 

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir