Dia a dia

DPE pede prisão do presidente do sindicato dos rodoviários; Josildo ironiza e manda buscá-lo

O STTRM deve entrar ainda nesta quinta-feira (11) com uma ação na Justiça para tentar derrubar a liminar – foto: Alberto César Araújo

Por telefone, Josildo demonstrou surpresa ao saber do deferimento e ironizou a decisão – foto: Arquivo AET

Após paralisação que prejudicou pelo menos 70 mil usuários do transporte coletivo em Manaus, na manhã desta segunda-feira (11), a Defensoria Pública do Estado do Amazonas pediu a prisão do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM), Josildo Oliveira.

O pedido se baseia no descumprimento da ordem judicial expedida na noite de ontem, que determinava o funcionamento integral do serviço de transporte coletivo.

O processo que pede a prisão de Josildo e a aplicação de multas cabíveis no processo foi deferido pelo defensor público Carlos Alberto Souza de Almeida Filho, da 1ª Defensoria Pública Especializada em Atendimento de Interesses Coletivos.

Por telefone, Josildo demonstrou surpresa ao saber do deferimento e ironizou a decisão. “A Defensoria não tem com que trabalhar? Eles não sabem fazer conta? Tudo o que foi pedido foi cumprido, mas se querem me prender, que venham me buscar, estou na sede do sindicato”, disse, alegando que a paralisação partiu dos próprios trabalhadores.

“Não é interessante para nós pararmos o sistema, queremos que todo mundo rode. Há uma multa que não temos como pagar se fizermos isso”, disse.

Por equipe EM TEMPO online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir