Dia a dia

Dois são mortos e um fica ferido; polícia suspeita que caso esteja ligado a disputa pelo tráfico de drogas na Glória

industriário Fransergio foi morto no momento que estava no Campo Sulamérica - foto: divulgação

industriário Fransergio foi morto no momento que estava no Campo Sulamérica – foto: divulgação

Dois homens foram mortos a tiros e um ficou ferido, na noite desse sábado (4), no bairro da Glória, Zona Oeste de Manaus. Para a polícia, os crimes foram motivados pela disputa por pontos de venda de drogas.

O primeiro caso ocorreu por volta das 18h, no Campo Sulamérica e vitimou o industriário Fransergio Alves dos Santos, 48. Ele foi morto com cinco tiros no peito.

De acordo com a Polícia Civil, o homem era considerado o chefe do tráfico do bairro da Glória. No momento do crime, ele estava no campo, quando um homem até o momento não identificado se aproximou e efetuou os disparos. O industriário não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Na ocasião, o cadeirante Lincon Castro de Oliveira, estava perto da vítima e foi atingido com um tiro na barriga. O homem foi socorrido e levado para o Serviço de Pronto Atendimento (SPA), do São Raimundo, onde segue internado.

O outro homicídio foi registrado por volta das 23h, na Praça da Glória, tendo como vítima o churrasqueiro Éden Ferreira da Paz, 35, que foi morto com quatro tiros no peito.

Ele ainda foi socorrido e conduzido para o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, Zona Centro-Sul, mas não resistiu aos ferimentos e morreu poucos minutos antes de dar entrada na unidade hospitalar.

Conforme a polícia, a morte de Éden pode ter sido uma retaliação ao homicídio de Fransergio, pois conforme as informações repassadas para a equipe, o churrasqueiro estava tentando roubar os pontos de venda de droga do industriário.

Ainda conforme a polícia, o churrasqueiro pode ter sido o mandante da morte do rival e por esse motivo também foi morto, para a polícia quem cometeu o assassinato do churrasqueiro foram os comparsas de Fransergio.

Inicialmente o crime foi registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), mas será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), localizada na Zona Leste da capital.

Por Mara Magalhães

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir