Mundo

Dois israelenses estão detidos na faixa de Gaza, diz Netanyahu

O primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, disse nesta quinta-feira (9) que dois cidadãos israelenses estão detidos na faixa de Gaza. Pelo menos um deles estaria em poder do Hamas.

“Estamos trabalhando para o retorno de dois israelenses que cruzaram a fronteira para Gaza”, disse Netanyahu, confirmando informações que eram mantidas restritas pelo governo desde setembro do ano passado.

O Ministério da Defesa israelense identificou o detido em poder do Hamas como Avraham Mengistu, 26, israelense de origem etíope. Ele teria desaparecido após atravessar “independentemente” a fronteira no dia 7 de setembro – duas semanas depois do fim do último conflito entre Israel e Gaza.

Uma TV israelense divulgou que ele teria atravessado a fronteira por um buraco na cerca, provavelmente resultado da movimentação de tanques israelenses durante o conflito.

O outro é um beduíno árabe israelense, do deserto de Negev, que não teve seu nome divulgado. Também não há informações de como ele teria entrado e de como foi detido em Gaza.

Altos funcionários do governo israelense ouvidos pela Associated Press dizem que Israel não havia divulgado antes a captura por ter esperanças de que o sigilo sobre os dois casos ajudasse na libertação dos israelenses.

O Hamas, que controla o pequeno território costeiro desde 2007 e lutou três guerras com Israel deste então, se negou a comentar.

No passado, Israel realizou trocas de prisioneiros com o Hamas, mais notavelmente em 2011, quando Gilad Shalit, um soldado raptado por militantes em um ataque fronteiriço em 2006, foi libertado em troca de mil palestinos mantidos em cadeias israelenses. A situação atual pode levar a demandas para uma nova troca de prisioneiros entre Israel e o grupo militante islâmico.

Netanyahu disse que está trabalhando para libertar os dois homens e que um representante foi apontado para cuidar dos dois casos.

“Ontem eu falei com os pais e irmãos de Avraham Mengistu e disse a eles que… não estamos poupando esforços para trazê-lo de volta a Israel”, afirmou.

“Essa é uma questão humanitária muito difícil, porque meu irmão não está em seu melhor estado de saúde”, disse Ilan Mengistu, irmão de Avraham, a jornalistas, sem dar mais detalhes. A rede Channel 2, contudo, disse que o israelense de origem etíope estaria em depressão desde a morte de outro irmão.

Ilan Mengistu pediu a libertação imediata do irmão pelo Hamas e pediu a Israel e à comunidade internacional que atuem para que isso ocorra o quanto antes.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir