Cultura

Disputa acirrada e muita chuva marcaram a 1ª noite do Festival de Parintins, que pode ter notas anuladas

Primeiro a se apresentar, Garantido trouxe grandes alegorias e muito brilho para Arena de Parintins - foto: Diego Janatã

Primeiro a se apresentar, Garantido trouxe grandes alegorias e muito brilho para Arena de Parintins – fotos: Diego Janatã

Muita garra, disposição e chuva marcaram a primeira noite do 50º Festival Folclórico de Parintins, que pode as notas anuladas.

Isso porque a Associação Folclórica Boi-Bumbá Caprichoso, segundo a se apresentar, pediu junto à Secretaria de Estado da Cultura (SEC) a anulação do julgamento dos 21 itens apresentados na noite, após se sentir prejudicada pelo temporal atingiu a ilha na maior parte do tempo de apresentação do Touro Negro.

Conforme o presidente do Caprichoso, Joilto Azêdo, entre os itens mais prejudicados esteve a  iluminação cênica, que teve de ser desligada por medida de segurança. Ele ressaltou que o boi continuou o espetáculo apenas em respeito ao público.

Caprichoso cunhã poranga

Apresentações
Com o tema ‘Vida’, o boi-bumbá Garantido foi o primeiro a se apresentar na festa que, em 2015 completa 50 anos. A galera vermelha exibiu um espetáculo à parte e provou que a paixão pelo boi da Baixa do São José continua em alta.

A criação e celebração da Vida, primeiro espetáculo programado pela Comissão de Artes, manteve os torcedores vibrantes desde a tradicional contagem do levantador Israel Paulain para anunciar ‘a Festa’ avermelhada na arena do Centro Cultural e Desportivo Amazonino Mendes, o Bumbódromo.

A aparição na arena do ‘Boi da Luz’ e a indumentária de Israel Paulain deram o tom da exaltação à Amazônia e o alerta ao mundo pela preservação da vida na floresta. O Amo do Boi, Tony Medeiros, e o Levantador de Toadas, Sebastião Júnior, antecederam a evolução da Lenda Amazônica ‘Yebá Burô’, do artista Júnior Feijó.

Os módulos gigantes foram colocados na arena e começaram surgir os elementos que compunham a alegoria, exaltando a criação da vida, conforme tradição dos povos Dessana.

O ponto alto da apresentação foi quando da arquibancada, a galera acompanhou na penumbra, com lanternas vermelhas, enquanto na arena o levantador de toadas Sebastião Júnior empolgava, com a toada Santuário Esmeralda. O boi fechou a noite apresentando o ritual da Tucandeira.

Chuva
Debaixo de chuva, o boi negro de estrela na testa, Caprichoso, foi o segundo a se apresentar e chegou à arena contando a lenda do Bicho Folharal, que pune os que depredam a natureza e não respeitam a harmonia dos povos da floresta. Com ricas alegorias e com ajuda da torcida, o azul e branco contou o ritual Senhor das Sombras, que representou os mura habitantes do Rio Madeira, no Amazonas são índios fortes e bravos, orgulho dos morubixabas.

boi caprichoso

Neste sábado, será a vez do Caprichoso abrir o festival. Já no domingo, dia 28, quem abre a festa também será o azul e branco e Garantido encerra o festival de 2015.

Com informações de Floriano Lins

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir