Cultura

Disputa acirrada e muita chuva marcaram a 1ª noite do Festival de Parintins, que pode ter notas anuladas

Primeiro a se apresentar, Garantido trouxe grandes alegorias e muito brilho para Arena de Parintins - foto: Diego Janatã

Primeiro a se apresentar, Garantido trouxe grandes alegorias e muito brilho para Arena de Parintins – fotos: Diego Janatã

Muita garra, disposição e chuva marcaram a primeira noite do 50º Festival Folclórico de Parintins, que pode as notas anuladas.

Isso porque a Associação Folclórica Boi-Bumbá Caprichoso, segundo a se apresentar, pediu junto à Secretaria de Estado da Cultura (SEC) a anulação do julgamento dos 21 itens apresentados na noite, após se sentir prejudicada pelo temporal atingiu a ilha na maior parte do tempo de apresentação do Touro Negro.

Conforme o presidente do Caprichoso, Joilto Azêdo, entre os itens mais prejudicados esteve a  iluminação cênica, que teve de ser desligada por medida de segurança. Ele ressaltou que o boi continuou o espetáculo apenas em respeito ao público.

Caprichoso cunhã poranga

Apresentações
Com o tema ‘Vida’, o boi-bumbá Garantido foi o primeiro a se apresentar na festa que, em 2015 completa 50 anos. A galera vermelha exibiu um espetáculo à parte e provou que a paixão pelo boi da Baixa do São José continua em alta.

A criação e celebração da Vida, primeiro espetáculo programado pela Comissão de Artes, manteve os torcedores vibrantes desde a tradicional contagem do levantador Israel Paulain para anunciar ‘a Festa’ avermelhada na arena do Centro Cultural e Desportivo Amazonino Mendes, o Bumbódromo.

A aparição na arena do ‘Boi da Luz’ e a indumentária de Israel Paulain deram o tom da exaltação à Amazônia e o alerta ao mundo pela preservação da vida na floresta. O Amo do Boi, Tony Medeiros, e o Levantador de Toadas, Sebastião Júnior, antecederam a evolução da Lenda Amazônica ‘Yebá Burô’, do artista Júnior Feijó.

Os módulos gigantes foram colocados na arena e começaram surgir os elementos que compunham a alegoria, exaltando a criação da vida, conforme tradição dos povos Dessana.

O ponto alto da apresentação foi quando da arquibancada, a galera acompanhou na penumbra, com lanternas vermelhas, enquanto na arena o levantador de toadas Sebastião Júnior empolgava, com a toada Santuário Esmeralda. O boi fechou a noite apresentando o ritual da Tucandeira.

Chuva
Debaixo de chuva, o boi negro de estrela na testa, Caprichoso, foi o segundo a se apresentar e chegou à arena contando a lenda do Bicho Folharal, que pune os que depredam a natureza e não respeitam a harmonia dos povos da floresta. Com ricas alegorias e com ajuda da torcida, o azul e branco contou o ritual Senhor das Sombras, que representou os mura habitantes do Rio Madeira, no Amazonas são índios fortes e bravos, orgulho dos morubixabas.

boi caprichoso

Neste sábado, será a vez do Caprichoso abrir o festival. Já no domingo, dia 28, quem abre a festa também será o azul e branco e Garantido encerra o festival de 2015.

Com informações de Floriano Lins

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir