Política

Direito de defesa de Dilma está sendo respeitado, diz Gilmar Mendes

Gilmar Mendes Mendes rejeitou a proposta da presidente Dilma, que no Senado voltou a dizer que, caso seja absolvida no processo de impeachment irá convocar novas eleições. - foto: José Cruz/Agência Brasil

Ministro Gilmar Mendes  rejeitou possibilidade de pedido de novas eleições presidenciais – foto: José Cruz/Agência Brasil

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta segunda-feira (29) que a presença da presidente Dilma Rousseff nesta segunda-feira (29) no Senado é a comprovação da ‘liceidade do processo’.

“A presença dela [no Senado] reforça a percepção de que o direito de defesa está sendo respeitado”, disse o ministro.
Mendes está em São Paulo para ministrar aula no Instituto de Direito Público (IDP), onde é sócio e coordenador científico.

Gilmar Mendes rejeitou a proposta da presidente Dilma, que nesta segunda-feira (29), no Senado voltou a dizer que, caso seja absolvida no processo de impeachment irá convocar novas eleições.

“É um gesto político. É uma proposta para manter uma aliança com atuais apoiadores”, disse. Mendes, que é presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse que uma proposta de novas eleições necessitaria da aprovação de 3/5 dos parlamentares e duvidou que a presidente venha a ter força política para tanto. “Além do que essa proposta prevê o encurtamento do mandato o que me parece inconstitucional”, disse.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir