Política

Dilma defende fundo para financiar países em transição para ‘economia limpa’

A criação de um fundo para financiar os países em um processo de transição para uma economia mais limpa foi defendida nesta quarta-feira (10), na Bélgica, pela presidenta Dilma Rousseff. “É necessário um fundo verde, para financiar, principalmente os países em desenvolvimento, na transição de uma economia baseada em carbono para uma economia de baixo carbono”, disse. “Isso vai exigir, então, um fundo que, pela sugestão que se apresenta, monta em torno de 100 bilhões, alguns dizem euros, outros dizem dólares. Mas, o fato é que é necessário esse fundo”, acrescentou.

A presidenta também falou sobre as negociações entre o Mercosul e a União Europeia. Dilma voltou a dizer que o Mercosul está pronto para fazer um acordo com a União Europeia e ressaltou que aguarda uma posição do bloco europeu. “O Mercosul está em condições de apresentar uma oferta. Agora, também queremos que a União Europeia nos diga que ela também está em condições, e que os 27 países irão ofertar ou, caso algum não oferte, nós queremos saber quem”.

A declaração da presidenta ocorreu após reuniões da cúpula entre a União Europeia e a Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac). Segundo Dilma, os dois blocos conversam sobre comércio e investimentos, educação, ciência, tecnologia e inovação, além de mudança do clima.

Amanhã (11), Dilma e os demais líderes terão reuniões com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e com a chanceler alemã, Angela Merkel.

 

Por ABr

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir