Sem categoria

Dia Mundial sem Tabaco com várias atividades em Manaus

Vício do tabagismo contribui para o aparecimento de várias doenças – foto: USP

Vício do tabagismo contribui para o aparecimento de várias doenças – foto: USP

No Dia Mundial sem Tabaco, celebrado nesta terça-feira (31), a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon) promoverá um ciclo de palestras voltadas à redução do consumo do produto e os malefícios causados pelo hábito em crianças, jovens e adultos.

De acordo com o diretor-presidente da FCecon, cirurgião oncológico Marco Antônio Ricci, falar sobre os fatores de risco oriundos do tabagismo ajuda a conscientizar a população e, consequentemente, a reduzir o número de fumantes, que em Manaus chega a 8,2% da população adulta, conforme o dado mais recente da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico – 2014 (Vigitel).

A atividade acontece na sede da instituição, na rua Francisco Orellana, Dom Pedro, Zona Centro-Oeste, a partir das 9h e será coordenada pelo Departamento de Prevenção e Controle do Câncer (DPCC) da fundação. De acordo com a responsável pelo DPCC, enfermeira Marília Muniz, entre os temas selecionados estão a associação do tabagismo às doenças cardiovasculares, a relação do tabaco com o câncer de mama – considerado o tipo da doença mais incidente entre as mulheres no país e o segundo no Amazonas – e a alimentação saudável.

O cardiologista Aristóteles Comte de Alencar Filho, o mastologista Manoel Jesus Pinheiro e a assistente social Leila Firmo de Aguiar conduzirão as palestras. Participarão da atividade acadêmicos da Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro) e alunos do ensino médio da escola estadual Senador Petrônio Portella.

“A conscientização tem que ocorrer desde a infância, para que as crianças compreendam a importância de se evitar o cigarro e tornem-se agentes multiplicadores, levando a informação para a casa e disseminando-a entre seus familiares, vizinhos e pessoas de convívio. É um trabalho de formiguinha, mas que surte efeitos práticos significativos”, destacou Muniz.

Um exemplo, segundo ela, é a pesquisa Vigitel de 2014, que aponta, entre os dados, uma queda de 30,7% no número de fumantes no Brasil entre 2005 e 2014. O documento também destaca outras curiosidades e detalhes do perfil do fumante, tais como o alto valor do tabaco, que está relacionado à redução do fumo entre os jovens, categoria que começa a fumar antes dos 18 anos. Já o consumo do cigarro entre pessoas com idade de 18 a 24 anos chega a 7,8%. Entre os mais velhos, de 45 a 54 anos, esse número sobe para 13,2%.

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir