Sem categoria

Detentos realizam casamento coletivo no Complexo Penitenciário Anisio Jobim

Detentos casam na tarde desta sexta-feira (2) - Foto: Luis Henrique Oliveira

Detentos casam na tarde desta sexta-feira (2) – Foto: Luis Henrique Oliveira

Trinta e oito casais disseram o ‘sim’ durante a celebração do casamento coletivo realizado no Complexo Penitenciário Anisio Jobim (Compaj), localizado na Zona Rural de Manaus. Os detentos oficializaram a união com suas companheiras em cerimônia realizada por volta das 16h, na tarde desta sexta-feira (2).

O casamento foi embalado por canções gospel e uma das animadoras foi a vereadora Pastora Luciana (PP), que também esteve presente.

De acordo com o secretário de administração penitenciária, Pedro Florêncio, esse é o segundo casamento coletivo realizado dentro de um presídio somente este ano, cujo objetivo é inserir valores e trazer direitos aos casais envolvidos.

“Nosso objetivo enquanto secretaria é a ressocialização do preso e nada é mais importante do que a família. O casamento é exatamente isso: a união legal da família. Isso humaniza o preso”, disse.

A doméstica Maria Hilda Moreira, 51, disse estar muito feliz e afirma que a diferença de idade não atrapalha seu relacionamento com o noivo, Evilasio de Lima Júnior, 32, preso há 4 anos pelo crime de homicídio.

“Ele propôs dizendo que a gente ia casar e eu não pude dizer não. Não vou deixar escapar essa oportunidade. Nos conhecemos aqui dentro do presídio. Eu vinha visitar o meu irmão e acabei me apaixonando por ele. Ele tem um filho e eu tenho sete. Estou muito feliz com a nossa união, hoje”, comentou.

As noivas ganharam tratamento de beleza com maquiagem e penteado especial. Todas estavam vestidas a caráter com véu, grinalda e buquê de flores.

O responsável pela união dos casais, foi o juiz da 4ª Vara da Família, Luis Cláudio Chaves. “É preciso cuidar dessas pessoas que estão aqui é oferecer condições mínimas para que eles não voltem pro crime. Cerca de 70% dos presos no Brasil, voltam pro crime, os outros 30% não voltam justamente por terem o apoio de suas famílias e assim a facilidade de encontrar um emprego e ruma vida melhor”, comentou.

A realização contou com o apoio do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejusc), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), entre outros órgãos.

Estiveram presente detentos do regime fechado e semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), Instituto Penitenciário AntônioTrindade (IPAT), Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) e Centro de Detenção Provisória (CDP). Ao fim, um coquetel foi oferecido aos convidados.

 

Por Luis Henrique Oliveira

 

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir