Dia a dia

Detentos são assassinados em cela de delegacia em Presidente Figueiredo

Os detentos foram, provavelmente, asfixiados por outros presos de uma facção rival durante a madrugada – Divulgação

Os detentos Alisson Bismarque Cascaes, 21, e Thiago Andrade de Souza, 25, foram mortos asfixiados dentro de umas das celas do 37º Distrito Integrado de Polícia (DIP) de Presidente Figueiredo (a 117 Km de Manaus).

De acordo com a Policia Civil, o crime provavelmente aconteceu durante a noite dessa terça-feira (18), no momento que os outros presos faziam barulho e cantavam em voz alta para não levantar suspeita. Entretanto, os corpos foram encontrados durante a madrugada de hoje, após os dois colegas de cela das vítimas avisarem os investigadores de plantão.

“Assim que soubemos do caso por volta da meia noite, imediatamente acionamos o comando de operação que mandou policiais da Rocam para o município, para impedir que houvesse motim. Separamos os detentos das duas celas para que também não houvesse qualquer alteração”, disse o Major da 7ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), Damacirio Mamed.

Ainda durante a madrugada os colegas de cela de Alisson e Tiago, que não tiveram os nomes divulgados, foram ouvidos pela polícia e confessaram a autoria dos homicídios.

Alisson e Tiago foram presos na semana passada com quase um quilo de drogas. Na ocasião, outras duas pessoas foram presas com a dupla, Douglas Jackson Simas Gouveia, 29, e Misael Paes de Sá, 21. No último domingo (16), Douglas fugiu da unidade policial.

Os detentos que morreram se diziam integrantes da facção Família do Norte – Divulgação

De acordo com o delegado do 37ºDIP, Valdinei Silva, a equipe está investigando se o crime tem alguma relação com brigas entres facções rivais.

“Os mortos se diziam ser membros da Família do Norte (FDN), o outro que fugiu também fazia parte da mesma quadrilha. Agora teremos que separar o 4º integrante da quadrilha presa na semana passada para que não haja outro caso semelhante a esse”, contou o delegado.

Valdinei Silva acrescentou que os internos foram mortos, provavelmente, asfixiados. Nenhum deles tinham perfurações pelo corpo.

Em depoimento, os suspeitos pela morte, que são membros do Primeiro Comando da Capital (PCC), confessaram o crime e afirmaram que mataram a dupla a mando da facção criminosa.

Os internos ainda informaram que a ordem era para matar os quatros presos, mas como um conseguiu fugir, e Misael Paes teria se unido a eles, apenas dois foram mortos.

Os corpos foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML) e trazidos para a Manaus, onde passarão por exames de necropsia.

Com informações de Jackson Salvaterra
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir