Sem categoria

Desembargador Mauro Bessa nega habeas corpus para Marcelaine Schumann

O desembargador Mauro Bessa negou, na tarde desta terça-feira (30), o pedido de habeas corpus feito ontem (29), pela defesa da socialite Marcelaine Schumann, revogando a prisão preventiva, feita no último dia 27 de junho, sob um novo mandado de prisão, que pediu o retorno imediato da socialite para o Centro de Detenção Provisória (CDP), localizado no quilômetro 8 da BR-174.

Ainda de acordo com o documento, que nega o pedido de habeas corpus, o promotor de Justiça Rogério Marques Santos, critica a postura da advogada da socialite em relação ao órgão ministerial.

“A defesa alegou que tiramos proveito das férias do juiz titular para requerer novamente a prisão da socialite. Um absurdo”, disse o promotor.

“Apenas lembro que é dever dos advogados tratar com respeito e qualidade os juízes, membros do Ministério Público e servidores da Justiça”, pontuou em seu documento o procurador de Justiça Rogério Santos.

Marcelaine foi presa novamente por causa de violações de medidas cautelares. Ela usava tornozeleira eletrônica e não deveria sair do perímetro estabelecido pela Justiça, nem se aproximar da vítima do crime. Mas, de acordo com a própria vítima- a empresária Denise Almeida – Marcelaine estava rondando sua casa e a academia que estava frequentando. Ela relatou que seu segurança particular chegou a ver a socialite na academia, onde atualmente prática exercícios físicos.

“Ela já foi vista na minha academia e eu cheguei a ver o carro dela, próximo a minha casa, então eu não tenho dúvidas que essa mulher é uma psicopata, que deve pagar pelo crime que cometeu”, afirmou.

Entenda o caso

A empresária Denise Almeida, 34, foi baleada no dia 12 de novembro de 2014, no estacionamento de uma academia localizada na avenida Getúlio Vargas, no Centro de Manaus. O atirador disparou três vezes contra o carro em que ela estava. Dois tiros atingiram a vítima. A ação foi registrada pelo circuito de vigilância do estabelecimento.

Segundo a Polícia Civil, no dia em que o crime ocorreu, Marcelaine, que na época do caso mantinha um suposto caso com o empresário Marcos Souto, viajou para o exterior para não levantar suspeitas em relação ao crime.

Ela retornou para a capital no dia 5 de janeiro deste ano, e foi presa em cumprimento a mandado de prisão pela Polícia Federal, ao desembarcar no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na Zona Oeste de Manaus.

De acordo com o delegado Paulo Martins, na época titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), ela ofereceu a quantia de ofereceu R$ 7 mil para o executor matar ou aleijar a vítima.

Ainda de acordo com o delegado, o motivo do crime seria o suposto envolvimento amoroso de Denise com o amante da socialite, empresário Marcos Souto.

Além de Marcelaine, quatro pessoas foram presas pelo crime: Rafael Leal dos Santos, 25, conhecido como ‘Salsicha’, apontado como o atirador; Charles Mac Donald Lopes Castelo Branco, 27, que teria negociado o crime com a mandante; Karen Arevalo Marques, 22, que intermediou o aluguel da arma usada na tentativa de homicídio; e o vigilante Edney Costa Gomes, 26.

Por equipe EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir