Política

Dermílson recua do PN de olho na presidência do PDT

Dermilson Chagas

Dermílson confirmou que Luppi vem a Manaus em data a ser definida para que conversem sobre a situação atual em que o partido vive – foto: divulgação

Visualizando a possiblidade de assumir a presidência regional do PDT, o deputado estadual Dermílson Chagas recuou de sua filiação ao Partido Novo (PN), anunciada há duas semanas na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam). Na ocasião, ele chegou a afirmar que iria presidir a legenda no Estado. Mas, na iminência da visita do presidente nacional do partido, Carlos Luppi a Manaus, o deputado mudou seu posicionamento.

Certo da mudança de partido, seu perfil no site da Assembleia chegou a ser alterado colocando-o como mais novo membro do PN. Mas, na tarde de ontem, o PDT voltou a figurar em seu perfil no portal da instituição.

O deputado andava se queixando do PDT e da forma como estava sendo tratado. Segundo ele, os dirigentes do partido discutiam os problemas sociais em mesas de bar.

Perguntado acerca desse recuo, ele afirmou que teria sido convidado a assumir a direção regional do Partido Novo, mas como a sigla ainda não constituiu diretório, nada foi adiante. “Por enquanto, ainda mantive minha filiação, por garantia da legislação, para evitar qualquer pleito contrário àquilo que almejamos, e ter êxito da migração de um partido para outro”, argumentou o deputado.

Dermílson confirmou que Luppi vem a Manaus em data a ser definida para que conversem sobre a situação atual em que o partido vive, inclusive ameaçado de ser esvaziado. Ele adiantou que mudanças devem ser feitas na estrutura interna do PDT e que vai esperar por isso. Mas, ao ser questionado sobre o desejo de assumir a direção do partido no Estado, o deputado mostrou cautela que afirmou que prefere esperar a decisão do presidente nacional e das condições que lhe será oferecida.

“Houve um realinhamento no PDT em nível nacional. Não sei quais são as condições para o Amazonas. Vou esperar essa conversa, para que a partir daí possa tomar um caminho para seguir”, contou Chagas.

Procurado pelo EM TEMPO, o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi confirmou por telefone que virá a Manaus para tratar da reestruturação do partido no Estado, mas não informou datas. Luppi, entretanto revelou que haverá mudança na presidência estadual.

Ao ser questionado sobre a saída de Chagas da sigla, ele se mostrou surpreso e afirmou não ter nenhum conhecimento sobre o assunto. Segundo ele, o deputado nunca chegou a comentar sobre a possível saída.

“Para mim ele nunca falou sobre sair, minha viagem para o Amazonas ainda não está definida, devo resolver algumas situações aqui em Brasília. Então marco uma viagem para a reunião no Amazonas, onde devemos avaliar o quadro do partido”, frisou o dirigente.

Souza fica no PSC

Com a indefinição de Dermílson sobre sua ida ao Partido Novo, o deputado Francisco Souza – que já havia considerado a possibilidade de sair do PSC e se filiar ao PN – recuou do projeto. Ontem, ele afirmou que existe um desejo de mudar de legenda, mas, no momento que existir a possibilidade jurídica.

“Tenho conversado muito com o deputado Abdala Fraxe (PTN), mas no momento, a lei me impede de mudar, o desejo de sair do PSC já está consolidado, e essa mudança só pode acontecer com a abertura da lei”, disse Souza.

Por Henderson Martins

1 Comment

1 Comment

  1. Sérgio

    8 de outubro de 2015 at 06:47

    Os dois deputados não mudaram de partido porque não sabiam como funciona e funcionará o partido NOVO. É preciso passar pelo crivo do partido e não apenas anunciar filiação e já ir anunciando que está filiado e será candidato a isso e àquilo. O NOVO não é igual aos outros. Nem busca medalhões. Muito menos políticos com vícios politiqueiros. Quebraram a cara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir