Sem categoria

Deputados aprovam corte de R$26 milhões na Aleam até o fim do ano

Durante quatro meses os técnicos da Assembleia fizeram um estudo para avaliar medidas de contenção de gastos para que a economia pudesse ser feita - foto: divulgação/Aleam

O presidente da Casa, Josué Neto, apresentou o terceiro pacote de contenção de gastos – foto: divulgação/Aleam

Os deputados da Assembleia Legislativa do Estado Amazonas (Aleam), aprovaram nesta quinta-feira (14), o terceiro pacote de contenção de gastos com o corte de pouco mais de R$26 milhões até o fim deste ano. Conforme o presidente da casa, deputado Josué Neto (PSD), as medidas que já estão valendo com o retroativo de 1º de abril, serão provisórias.

Ficou decidido pelos 19 deputados presentes na reunião, que será cortado 10% – que representa R$ 2,5 mil – da Cota para Exercício de Atividade Parlamentar (Ceap), o ‘Cotão’, que atualmente é de R$ 25 mil por mês para cada gabinete, o que vai gerar uma economia de pelo menos R$ 60 mil por mês. Outro corte feito foi na comunicação de cada gabinete. Desde 2005 cada parlamentar tinha disponível R$ 1,7 mil para serviços de comunicação, e a partir de hoje o valor vai para R$ 1 mil. As bolsas de estudos que os parlamentares disponibilizavam caíram de R$ 8 mil para R$ 5 mil.

Além dessas medidas, o salário dos diretores da casa foi cortado em 10%. Assim como serão feitos cortes de 10% na jornada de trabalho e gratificações de alguns cargos, ainda não mencionados. Também serão diminuídos em 10% o valor de contratos de alguns fornecedores da casa legislativa. Os contratos já haviam passado para uma redução de 25% no segundo pacote de redução de gastos, aprovado pelos deputados em agosto do ano passado. Outra medida é a redução de 70% no valor do contrato de um fornecedor de combustível para os carros dos deputados. Agora os parlamentares irão pagar o combustível com o dinheiro da Ceap.

De acordo com Josué Neto, apesar das críticas internas e externas que são feitas em relação as dificuldades econômicas da casa, a Aleam é a instituição que menos gasta. “Todos os Estados e municípios estão passando por dificuldades com o atual momento econômico do Brasil. O problema financeiro da Aleam é o mesmo dos outros órgãos do Estado”, disse.

Segundo o presidente, as medidas de contenção receberam o aval da maioria dos deputados, que entenderam que são medidas necessárias para equilibrar as contas do parlamento, que está tendo queda de pelo menos R$ 3 milhões ao mês no repasse do Governo do Estado. Antes o valor era de aproximadamente R$ 20 milhões por mês e agora gira em torno de R$ 17 milhões. “Todas as decisões serão momentâneas. Quando o Brasil estiver passando por um momento melhor, nós (deputados) voltaremos a discutir esse assunto”, completa Josué.

Por Asafe Augusto

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir