Política

Denunciado na Lava Jato, Marqueteiro do PT será incluído em alerta da Interpol, diz PF

No último dia 12, a Folha de S.Paulo revelou que a Lava Jato investiga indícios de pagamentos da Odebrecht ao marqueteiro - foto: divulgação

No último dia 12, a Folha de S.Paulo revelou que a Lava Jato investiga indícios de pagamentos da Odebrecht ao marqueteiro – foto: divulgação

O publicitário João Santana e a mulher dele, Mônica Moura, devem ter seus nomes incluídos no alerta de captura internacional da Interpol ainda nesta segunda (22). A informação é do delegado Igor Romário de Paula, coordenador das investigações da Operação Lava Jato na Polícia Federal do Paraná. O casal está na República Dominicana, de acordo com o advogado deles.

Santana e Mônica tiveram a prisão decretada na 23ª fase da Operação Lava Jato, iniciada na manhã desta segunda-feira (22).

Ao todo, cinco alvos da nova fase estão fora do Brasil. Entre os procurados estão os ex-funcionários da Odebrecht Luiz Eduardo Rocha Soares e Fernando Migliaccio, apontados como controladores de pagamentos feitos por offshore. Os dois deixaram o país após as prisões de Marcelo Odebrecht e de executivos que integravam a cúpula do conglomerado, em junho do ano passado.

O delegado disse que a operação foi deflagrada mesmo com alvos no exterior, porque a investigação foi “atropelada por algumas reportagens” publicadas recentemente.

No último dia 12, a Folha de S.Paulo revelou que a Lava Jato investiga indícios de pagamentos da Odebrecht ao marqueteiro das campanhas presidenciais em contas no exterior. Na última sexta (19), a Folha de S.Paulo publicou que o juiz Sergio Moro negou o acesso do inquérito à defesa de João Santana porque a investigação tinha ações como rastreamento financeiro fora do país, o que demandava sigilo.

“Dinheiro tem coração de coelho e patas de lebre”, escreveu o juiz, em despacho para justificar a necessidade do sigilo.

Em janeiro, a revista ‘Veja’ revelou que fora encontrado na casa do lobista Zwi Skornicki, ligado ao estaleiro asiático Keppel Fels, uma carta de Mônica Moura, mulher e sócia de Santana. O manuscrito indicava contas de Santana na Inglaterra e nos EUA.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir