Dia a dia

Dentistas e outros profissionais de saúde reduzem jornada de trabalho em Manacapuru

O grupo tentou formalizar a greve na cooperativa, mas quem estava no local se recusou a receber o documento - foto: Divulgação

O grupo tentou formalizar a greve na cooperativa, mas quem estava no local se recusou a receber o documento – foto: Divulgação

Após uma reunião no fim de semana, os dentistas da Cooperativa Nacional (Nacionalcoop) anunciaram, nesta segunda-feira (26), que atenderão apenas casos de urgências odontológicas no município de Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus).  A ação, que foi também aderida por outras áreas da saúde, acontece em reivindicação ao atraso do pagamento dos salários.

De acordo com o cirurgião-dentista, Lean Lima, os técnicos e auxiliares do consultório bucal também aderiram à greve, mas ao chegarem esta manhã em uma das Unidades Básicas de Saúde (UBS), eles foram informados que estavam de folga até a próxima segunda-feira (3).

“Um enfermeiro disse para os técnicos saírem de lá, e mesmo quem queria ficar não poderia. Diante disso vamos fazer um Boletim de Ocorrência (B.O.) e dá entrada no Ministério Público do Estado (MPE)”, disse.

Conforme a Coordenadora de saúde da mulher do município, enfermeira Tadiane Freitas, o grupo tentou formalizar a greve na cooperativa, mas quem estava no local se recusou a receber o documento.

“Além da folga forçada, ninguém quis receber o documento assinado e ainda há boatos que a cooperativa vai declarar falência nesta terça-feira. Estamos na luta pelos nossos salários”, declarou.

Os médicos, que desde sexta-feira (23), estão atendendo apenas os casos de urgências e emergências, visitaram  nesta tarde o Sindicato dos Médicos (Simeam). Na ocasião, o presidente da entidade, o médico Mário Vianna, afirmou que está organizando uma reunião com todas as categorias da saúde, para elaborar um documento com todas as denúncias. O objetivo é registrar oficialmente as reclamações junto aos órgãos competentes.

Os profissionais de saúde ainda disseram que nessa semana haverá uma nova manifestação. A data do manifesto não foi informada por medo de represália.

Ao ser questionada sobre a falta de pagamento dos salários, a secretária de saúde do município, Márcia Cardoso, explicou para equipe do EM TEMPO online, que a situação é parecida com a de Manaus, devido à crise na área da saúde. Ela ainda afirmou que na última sexta-feira foi acordado com os médicos que o pagamento será realizado no próximo dia 05 de outubro.

“Inicialmente eles pediram que fosse realizado o depósito do dinheiro no dia 28 e 30 de setembro, mas eu não tenho condições. Não estamos mais recebendo recursos para os medicamentos, o que resultou na falta de pagamento dos salários”, declarou.

Sobre a folga dos funcionários, Márcia disse que foi uma maneira adotada para não prejudicar a população. Isso porque os técnicos resolveram se trancar em uma das salas e não atender mais ninguém. “Esse tempo seria para resolver os problemas, e não tem como impedir as pessoas de trabalharem”.

Em relação a situação na cooperativa, segundo Márcia eles não receberam o documento, primeiramente, porque a pessoa responsável não estava presente e, além deste fato, as pessoas chegaram intimidando com gravações.
“Ninguém se nega a receber se não estiverem intimidando. É direito de todos manifestar, desde que não afete ninguém negativamente”, disse a secretária de saúde do município.

Por Manoela Moura

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir