Dia a dia

Dentistas e outros profissionais de saúde reduzem jornada de trabalho em Manacapuru

O grupo tentou formalizar a greve na cooperativa, mas quem estava no local se recusou a receber o documento - foto: Divulgação

O grupo tentou formalizar a greve na cooperativa, mas quem estava no local se recusou a receber o documento – foto: Divulgação

Após uma reunião no fim de semana, os dentistas da Cooperativa Nacional (Nacionalcoop) anunciaram, nesta segunda-feira (26), que atenderão apenas casos de urgências odontológicas no município de Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus).  A ação, que foi também aderida por outras áreas da saúde, acontece em reivindicação ao atraso do pagamento dos salários.

De acordo com o cirurgião-dentista, Lean Lima, os técnicos e auxiliares do consultório bucal também aderiram à greve, mas ao chegarem esta manhã em uma das Unidades Básicas de Saúde (UBS), eles foram informados que estavam de folga até a próxima segunda-feira (3).

“Um enfermeiro disse para os técnicos saírem de lá, e mesmo quem queria ficar não poderia. Diante disso vamos fazer um Boletim de Ocorrência (B.O.) e dá entrada no Ministério Público do Estado (MPE)”, disse.

Conforme a Coordenadora de saúde da mulher do município, enfermeira Tadiane Freitas, o grupo tentou formalizar a greve na cooperativa, mas quem estava no local se recusou a receber o documento.

“Além da folga forçada, ninguém quis receber o documento assinado e ainda há boatos que a cooperativa vai declarar falência nesta terça-feira. Estamos na luta pelos nossos salários”, declarou.

Os médicos, que desde sexta-feira (23), estão atendendo apenas os casos de urgências e emergências, visitaram  nesta tarde o Sindicato dos Médicos (Simeam). Na ocasião, o presidente da entidade, o médico Mário Vianna, afirmou que está organizando uma reunião com todas as categorias da saúde, para elaborar um documento com todas as denúncias. O objetivo é registrar oficialmente as reclamações junto aos órgãos competentes.

Os profissionais de saúde ainda disseram que nessa semana haverá uma nova manifestação. A data do manifesto não foi informada por medo de represália.

Ao ser questionada sobre a falta de pagamento dos salários, a secretária de saúde do município, Márcia Cardoso, explicou para equipe do EM TEMPO online, que a situação é parecida com a de Manaus, devido à crise na área da saúde. Ela ainda afirmou que na última sexta-feira foi acordado com os médicos que o pagamento será realizado no próximo dia 05 de outubro.

“Inicialmente eles pediram que fosse realizado o depósito do dinheiro no dia 28 e 30 de setembro, mas eu não tenho condições. Não estamos mais recebendo recursos para os medicamentos, o que resultou na falta de pagamento dos salários”, declarou.

Sobre a folga dos funcionários, Márcia disse que foi uma maneira adotada para não prejudicar a população. Isso porque os técnicos resolveram se trancar em uma das salas e não atender mais ninguém. “Esse tempo seria para resolver os problemas, e não tem como impedir as pessoas de trabalharem”.

Em relação a situação na cooperativa, segundo Márcia eles não receberam o documento, primeiramente, porque a pessoa responsável não estava presente e, além deste fato, as pessoas chegaram intimidando com gravações.
“Ninguém se nega a receber se não estiverem intimidando. É direito de todos manifestar, desde que não afete ninguém negativamente”, disse a secretária de saúde do município.

Por Manoela Moura

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir