Dia a dia

Denise Almeida afirma que Marcelaine Schumann ronda sua casa

Com exclusividade ao AGORA, Denise Almeida relatou que seu segurança particular já chegou a ver a socialite na academia onde a vítima pratica exercícios físicos – foto: Ione Moreno

Com exclusividade ao AGORA, Denise Almeida relatou que seu segurança particular já chegou a ver a socialite na academia onde a vítima pratica exercícios físicos – foto: Ione Moreno

Mesmo sob monitoramento de tornozeleira eletrônica e não podendo frequentar locais públicos, a socialite Marcelaine dos Santos Schumann, 36, acusada de ser mandante da tentativa de homicídio da estudante de direito Denise Almeida, 35, ocorrida dia 12 de novembro do ano passado, anda descumprindo a determinação judicial e chegou  a ser vista rodando a casa da vítima.

Com exclusividade ao AGORA, Denise Almeida relatou que seu segurança particular já chegou a ver a socialite na academia onde a vítima pratica exercícios físicos. “Ela já foi vista na minha academia e eu cheguei a ver o carro dela próximo a minha casa, então eu não tenho dúvidas que essa mulher é uma sociopata que deve pagar pelo crime que cometeu”, afirmou.

A estudante disse ainda que não pretende se mudar de sua residência com medo de uma nova tentativa de homicídio, mas afirmou que a Justiça esta sendo falha deixando Marcelaine trafegar em locais públicos.

“Eu fiquei chocada quando vi que ela esta pedindo para viajar, isso não pode acontecer já que ela é uma assassina, mas se isso acontecer, eu vou entrar com a minha advogada para pedir uma decisão mais séria da Justiça”, ressaltou.

Vida ‘animada’

Em uma imagem do trafego da socialite disponível no processo da acusada é possível ver  que Marcelaine passou várias vezes próximo a casa de Denise durante os meses de maio e junho e frequentou restaurantes e salão de beleza, descumprindo a medida no processo que permite a acusada a trafegar somente de casa para o trabalho.

O Secretário de Justiça e Direitos Humanos, Coronel Louismar Bonates, informou que não teve violação no limite na qual foi imposto no processo da acusada, e que todas as informações da tornozeleiras são repassadas para a Justiça. “Se ela passou próxima a casa da vítima, mas temos certeza que não houve riscos, porque se ela tivesse oferecido riscos para a mulher, a polícia mandaria uma viatura para prendê-la”, afirmou.

O AGORA  entrou em contato com a advogada de defesa da socialite Marcelaine Schumann, mas não obteve sucesso.

Viagem vetada

Após pedir para viajar a cidade de Ji-Paraná (RO) para cuidar da mãe doente, a socialite teve o parecer negativo pelo Ministério Público do Amazonas. No documento, o órgão alega que Marcelaine pode usar da viagem para fugir para Bolívia que é fronteira de Ji- Paraná.

O documento aguarda despacho do juiz Anísio Rocha Pinheiro que substitui o Titular da 3ª Vara do Tribunal do Juri, Mauro Antony, que está de férias.

Por Ana Sena (equipe Jornal AGORA)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir