Economia

Demanda por voos nacionais cai 5,9% e tem menor resultado para junho desde 2012

No pior resultado dos últimos quatro anos, empresas aéreas registraram, em junho, queda de 5,9% na procura por voos domésticos – foto: Antônio Cruz/ABr

No pior resultado dos últimos quatro anos, empresas aéreas registraram, em junho, queda de 5,9% na procura por voos domésticos – foto: Antônio Cruz/ABr

As companhias aéreas registraram, em junho, queda de 5,9% na demanda por voos domésticos em relação a junho de 2015, considerando o número de bilhetes vendidos, trecho percorrido e descontos de ocupação pela tripulação, cortesia e gratuidades. Foi a décima primeira queda consecutiva, no pior resultado para um mês de junho desde 2012, segundo informou nesta terça-feira (19) a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

A oferta estimada – com base no número de assentos disponíveis e distância percorrida – apresentou retração de 6,4%. Já o movimento de passageiros teve baixa de 7% com 6,8 milhões de viagens. Os dados abrangem as empresas Avianca, Azul, Gol e Latam, associadas à Abear e que respondem por 99% do mercado doméstico.

No acumulado do primeiro semestre, houve queda de 6,6% na demanda; de 5,9% na oferta e de 8% no fluxo de passageiros em 43,2 milhões de viagens. A Gol teve uma participação no mercado de 36,42%; a Latam (34,96%); a Azul (17,15%) e a Avianca (11,48%).

Voos internacionais

O levantamento da Abear indica, ainda, ainda que a participação no transporte internacional ficou em 25% do mercado, sendo o restante operado por companhias estrangeiras. A procura por viagens internacionais caiu 5,1%, na maior queda dos últimos quatro meses e no semestre houve redução de 0,3%. Já a oferta diminuiu 8%, enquanto as viagens internacionais num total de 558,4 mil, cresceram 2% sobre junho de 2015.

De acordo com nota divulgada pela Abear, há uma tendência de busca por viagens mais curtas, indicando mais os destinos na América do Sul. A maior participação de voos internacionais foi da Latam (81,7%), seguido pela Gol (11,54%); Azul (6,7% e Avianca (0,07%).

Transporte de carga

O volume de transporte de carga em território nacional cresceu 1,9%, alcançando 26,2 mil toneladas em junho último. No semestre, foram transportadas 149,5 mil toneladas, quantidade 10,2% menor do que em igual período do ano passado. Para fora do país, em junho houve alta de 3,3% com 14,3 mil toneladas. E, de janeiro a junho, foi registrado o mesmo percentual de aumento com o volume de 88,4 mil toneladas.

Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir