Sem categoria

Delegado oferece recompensa de R$1 mil por paradeiro de assassinos de professora

Rocicley de Saraiva foi vítima de latrocínio - roubo seguido de morte na noite da última terça-feira (5) - foto: divulgação

Rocicley de Saraiva foi vítima de latrocínio – roubo seguido de morte na noite da última terça-feira (5) – foto: divulgação

Uma recompensa no valor de R$1 mil está sendo oferecida  para quem souber informações concretas ou o paradeiro dos dois suspeitos envolvidos na morte de uma professora no bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste de Manaus.

Segundo o titular do 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP), delegado Abraão Seruya, o valor da recompensa sairá do próprio bolso. Mas no momento, nenhuma informação pode ser divulgada por questões de cautela para não prejudicar as investigações.

“O dinheiro vai sair do meu próprio bolso. É um caso revoltante, diferente dos outros. Esse caso não vai ficar impune. Os dois indivíduos não podem ficar soltos causando terror pela cidade”, disse.

Entenda o caso

A professora de geografia Rocicleyde Saraiva de Souza, 49, foi assassinada na noite da última terça-feira (5), com um tiro no peito durante um assalto nas proximidades de sua residência. A professora ainda foi socorrida e levada ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Alvorada, mas não resistiu aos ferimentos.

Rocicleyde era natural do município de Novo Airão (distante 180 quilômetros de Manaus) e estava com uma viagem marcada para Santarém, no Pará, na quarta-feira (6), onde iria passar uns dias de folga, segundo os familiares.

Por Lindivan Vilaça

2 Comments

2 Comments

  1. Santos

    9 de abril de 2016 at 13:32

    Sou morador do Alvorada e fico revoltado com essa situação estamos a mercê de escorias da sociedade e ainda tem gente que sente pena de bandido.
    Você tem meu apoio Delegado.
    Infelizmente a vida da professora não trará de volta mais prendera esses Bandidos e mostrara pra sociedade que a Policia Civil e Militar existe pessoas comprometidas com a Justiça.

  2. odete

    9 de abril de 2016 at 01:53

    O caso da minha sogra uma senhorara de 78 anos foi morta covatdemente há exatamente 5 meses e não temos nada solucionado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir