Revista Elenco

Decorador de festa Roni Vieira diz que ostentação está fora de moda

“Nada é cafona. Não gosto e nem uso essa palavra. O que é bonito para um pode não ser para outro. É tudo questão de gosto pessoal. O importante é amor”. É dessa maneira que o decorador de festas Roni Vieira define o momento atual no mercado de festas. Com 15 anos de experiência, dos quais 11 são dedicados a sua própria empresa, o expert em festas fala sobre as tendências atuais e o que caiu em desuso quando se fala em receber bem.

Com festas que levam a sua assinatura por todo o país, Roni Vieira é considerado um dos gurus do ramo. No Amazonas, já organizou festas de diversas famílias tradicionais, além de formaturas e, portanto, é conhecido na região. Para o profissional, hoje, a tendência no mercado é fazer uma festa que seja a “cara” da família que está promovendo o evento.

Leia mais: Turismo de luxo é ‘alimentado’ com experiências inéditas durante o Festival de Parintins

“Apesar da crise que estamos vivendo, o anfitrião ainda não perdeu a vontade de receber bem. É até uma forma de proporcionar momentos felizes e surpreendentes ao receber seus convidados e espantar esse fantasma da crise que nos assombra. Por isso, digo que o amor e o carinho com que é projetada a festa são sempre tendência”, diz.

Exclusividade:

No entanto, quando se fala em organizar um evento, Roni Vieira explica que a exclusividade é um dos pontos mais fortes atualmente. “Os anfitriões estão buscando, cada vez mais, profissionais surpreendentes, independente do quanto eles custem. E é por isso que estamos ganhando cada vez mais mercado e o noticiário, pois somos responsáveis por criar momentos particulares. Encontramos formas de criar festas que tenham o DNA de quem está dando a festa. O convidado precisa chegar ao evento e sentir que tudo é a cara do anfitrião”, destaca.

O decorador, entretanto, é bem cuidadoso ao dar mais detalhes sobre o que não se utiliza mais em festas. “Sou da opinião de que não existe isso de cafona. Cafona ou contemporâneo e moderno são questões de gosto pessoal. Cada um tem seu estilo, e o bom profissional capta a ideia do cliente e faz o pedido dele virar tendência. É como se transformássemos um defeito em efeito. Por isso, não existe ‘fora de moda’, mas, sim, algo que está em desencontro com o conceito da festa”, completa.

Ostentação: 

Apesar de levantar a bandeira da exclusividade e de entregar o melhor trabalho ao seu cliente, Roni Vieira diz que ostentação está fora de moda. “Festas gigantescas já não existem mais. Todos estamos priorizando festas menores, onde o convidado é recebido com mais carinho. Aquelas festas muito exuberantes que chegam a constranger os convidados não são mais o que as pessoas buscam. Hoje, a humildade é o que as pessoas querem. Por mais que o cliente faça investimentos altos, a festa é criada para receber bem, e não ostentar”, finaliza.

Mellanie Hasimoto
EM TEMPO

Leia também:
Objetos de decoração e biojoias feitos por artesãos amazonenses serão vendidas em shopping de Manaus

Item essencial no vestuário, os sapatos ganham atenção da moda
Festas de casamento registram alta procura em Manaus

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir