Mundo

Declarações de Trump mostram falta de conhecimento do mundo, diz Obama

O republicano disse em entrevista ao jornal "The New York Times que A pessoa que fez essas declarações não conhece muito sobre política externa ou política nuclear - Foto: Agência Brasil

O republicano disse em entrevista ao jornal ‘The New York Times’ que a pessoa que fez essas declarações não conhece muito sobre política externa ou política nuclear – Foto: Agência Brasil

O presidente americano e democrata, Barack Obama, afirmou nesta sexta-feira (1º) que declarações como a do pré-candidato republicano Donald Trump de que a Coreia do Sul e o Japão poderiam construir arsenais nucleares mostram falta de conhecimento do mundo.

O republicano disse em entrevista ao jornal ‘The New York Times’ divulgada na semana passada que estaria aberto a permitir que o Japão e a Coreia do Sul construíssem seus próprios arsenais nucleares para não depender dos EUA na proteção contra a Coreia do Norte e a China, ambas nações com armamento nuclear.

“Se os EUA continuarem em seu caminho, seu atual caminho de fraqueza, eles vão querer [um arsenal próprio] de qualquer forma, com ou sem eu discutindo o tema”, disse Trump.

Quando questionado sobre as declarações, Obama afirmou: “A pessoa que fez essas declarações não conhece muito sobre política externa ou política nuclear ou a península da Coreia ou do mundo em geral.”

Em meio à Cúpula de Segurança Nuclear, que reúne 52 países em Washington, entre eles o Brasil, o democrata rebateu ainda a sugestão de Trump de que renegociaria o acordo de 56 anos com o Japão. O democrata disse que o texto é um dos “pilares” da presença americana na região da Ásia e do Pacífico.

“A política dos EUA lá preveniu a escalada nuclear do conflito entre países que no passado e através da história se envolveram em conflitos altamente destrutivos e controversos”, disse Obama.

“Então você não mexe com aquilo. E não queremos alguém na Sala Oval [escritório do presidente na Casa Branca] que não reconhece quão importante aquilo é.”

Na entrevista ao “NYT”, Trump em nenhum momento disse acreditar que as forças americanas que atuam em bases ao redor do mundo fazem um trabalho valioso para os EUA, apesar de administrações democratas e republicanas defenderem por décadas que a presença militar internacional é essencial para proteger o país e reunir informações estratégicas.

Sem citar nenhum candidato específico, Obama ressaltou a importância da ação internacional americana e disse que “até mesmo esses países que estão acostumados com uma atmosfera de carnaval em suas eleições querem sobriedade e clareza quando se trata das eleições nos EUA”.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir