Cultura

De Parintins para o mundo ver: artistas da ilha integram elenco de abertura da Rio 2016

Os participantes passaram por uma rigorosa ‘peneira’ da comissão organizadora da Rio 2016, que esteve em Parintins (369 quilômetros de Manaus) para a seletiva entre os dançarinos do município - foto: divulgação

Os participantes passaram por uma rigorosa ‘peneira’ da comissão organizadora da Rio 2016, que esteve em Parintins (369 quilômetros de Manaus) para a seletiva entre os dançarinos do município – foto: divulgação

Um grupo formado por mais de 80 artistas parintinenses vai representar a cultura do Amazonas na cerimônia de abertura das Olimpíadas Rio 2016, marcada para o próximo dia 5 de agosto. A comitiva desembarcou na cidade maravilhosa no último dia 10 julho, onde, desde então, está treinando para aperfeiçoar os movimentos que serão apresentados no maior evento esportivo do mundo.

Os participantes passaram por uma rigorosa ‘peneira’ da comissão organizadora da Rio 2016, que esteve em Parintins (369 quilômetros de Manaus) para a seletiva entre os dançarinos do município.

Além do corpo de dança, formado por 73 bailarinos, há três outros profissionais que formam a equipe técnica: Chico Cardoso, coordenador geral do grupo; Erick Beltrão, coreógrafo e Herleson Maia, produtor de elenco. Eles compõem um quadro da cerimônia que vai durar cerca de quatro minutos. Os dançarinos estarão caracterizados como indígenas.

“O nome do nosso grupo é mantido em segredo. Assinamos um termo de confiabilidade, mas podemos dizer é que tem toda uma ligação com a cena que os dançarinos irão realizar na cerimônia de abertura”, disse Herleson, completando que a coreografia do evento é assinada pela bailarina Deborah Colker.
Os ensaios, segundo Maia, são realizados de modo intensivo e em sigilo total, no Maracanã. A trilha sonora que vai marcar a abertura dos jogos olímpicos é composta pelo melhor da música popular brasileira, mostrando o que há de mais expressivo na cultura do país.

“Até em Parintins, tentávamos manter o máximo de segredo. Íamos para o bumbódromo e anexávamos cortinas pretas em seu entorno”, disse o produtor de elenco que escolheu o grupo formado por bailarinos dos bois Caprichoso e Garantido, atendendo aos critérios de desenvoltura na dança, traços indígenas e disciplina.
A abertura tem como proposta contar um pouco da história do Brasil e como se deu a construção da identidade do povo brasileiro, destacando a migração e a miscigenação.
“O comitê achou necessária a nossa vinda para dar mais veracidade na dramaturgia que vai focar os indígenas, por causa do nosso folclore. Fora isso, tem a questão das disciplinas dos nossos dançarinos, que já têm costume por causa dos ensaios dos bois”, disse.

Arte parintinense

Rossy integra, há anos, o rol dos artistas de escolas de samba do Rio de Janeiro e, hoje, tem seu nome na lista das Cerimônias Cariocas - foto: divulgação

Rossy integra, há anos, o rol dos artistas de escolas de samba do Rio de Janeiro e, hoje, tem seu nome na lista das Cerimônias Cariocas – foto: divulgação

Além do grupo de dança, há outro parintinense entre os artistas que farão o show de abertura da Rio 2016. Trata-se do artista de ponta e vice-presidente do Boi-Bumbá Caprichoso, Rossy Amoêdo que, na ficha técnica do evento, assinará como designer na equipe de Daniela Thomas, Andrucha Waddington, Fernando Meirelles, especialistas em arte que atuarão como diretores criativos da cerimônia.

Rossy integra, há anos, o rol dos artistas de escolas de samba do Rio de Janeiro e, hoje, tem seu nome na lista das Cerimônias Cariocas (CC2016), criado pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos.

O artista parintinense, também por conta do termo assinado com o CC2016, disse não poder revelar detalhes do trabalho que irá desenvolver. Ele apenas contou que sua equipe teve participação nos anéis olímpicos e em alguns croquis que serão usados no decorrer da festividade.

Porém, Rossy não escondeu a satisfação de assinar mais um trabalho em um evento internacional. “É uma realização para qualquer profissional da minha área poder estar participando, hoje, de um evento como a cerimônia das Olimpíadas. Esse reconhecimento é muito bom, pois mostra a credibilidade em relação ao trabalho que a gente vem desenvolvendo ao longo dos anos Brasil afora. O legado que isto deixa em minha vida é muito grande. Ainda darei muito orgulho para a minha terra”, declarou.

Essa não será a primeira vez que Rossy participa de um evento internacional. Em 2007, o artista participou da abertura do Pan Americano, também realizado em solo carioca, e declarou que a inclusão de parintinenses na cerimônia olímpica serve para dar destaque à cidade que nasceu e, claro, ao Amazonas.

“Sinto como se tivesse cumprido uma missão. Parintins está presente na cerimônia de uma forma muito forte. Abri mão de muita coisa para estar aqui e tenho certeza que vamos responder à altura esse compromisso. Isso (a participação) é muito importante para nós, pro Amazonas e para todos que vibram e torcem pela nossa cultura”, disse Rossy.

Por Rosianne Couto

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir