Política

David Almeida promete zerar filas de exame em 90 dias

O anúncio do programa “Fila Zero” foi feito pelo governador interino em coletiva na sede do executivo estadual – Laize Minelli

Zerar filas de espera para exames médicos nas redes estadual em até 90 dias, é o objetivo do programa ‘Fila Zero’, anunciado dentro do pacote de iniciativas do Plano Emergencial de Saúde, pelo governador interino David Almeida (PSD) na manhã desta quarta-feira (16), na sede do governo, Avenida Brasil, bairro Compensa.

Mais de 130 mil pessoas em filas de espera para consultas e exames e outras sete mil, que esperam cirurgias, devem começar a ser atendidas, a partir desta quinta-feira (18), na capital.

De acordo com o governo interino, somente em ortopedia, 2.306 pessoas estão na fila de espera para atendimento. Em urologia, 572 pessoas precisam ser atendidas. A ideia do plano emergencial em saúde é dinamizar as unidades de saúde, com oferta de mais serviços, aumentando a quantidade de agendamentos e atendimentos dos usuários.

“O objetivo do nosso governo é servir, minorar o sofrimento. Meu compromisso é ajudar o povo do estado. Vamos buscar diariamente isso” afirmou o governador interino, David Almeida. Ele disse ainda que irá visitar todos os hospitais públicos para tomar conhecimento das necessidades.

Aumentar a quantidade de cirurgias ortopédicas e cardíacas também é outra das prioridades, segundo o responsável pela Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas, Vander Alves.

“A meta é ajudarmos, independente do tempo que passaremos no cargo”, declarou o secretário.

Outras medidas

Governador deve usar recursos federais e estaduais para cumprir Plano – Divulgação

Outra medida anunciada para dar mais celeridade às iniciativas propostas pelo Plano é inaugurar o Hospital Delphina Aziz. A unidade dispõe de 300 leitos e 11 salas cirúrgicas, mas atende somente como Pronto Socorro.

Sobre o Hospital Francisca Mendes, será reativado o aparelho de ressonância magnética. Dentro de 90 dias, o hospital será equipado com um segundo equipamento de hemodinâmica.

No Hospital João Lúcio, na Zona Leste, a meta é implantar um aparelho de ressonância para auxiliar nas neurocirurgias. Já no hospital Adriano Jorge, será concluída a reestruturação do centro de hemodiálise.

Em relação as parcerias, o governador disse que o Hospital Getúlio Vargas deve absorver parte das demandas cirúrgicas, centralizadas em outros hospitais.

A compra de medicamentos em laboratórios públicos deverá ser realizada  pela Central de Medicamentos do Amazonas para todo o Estado, o que deve render uma economia de até 70% nos custos.

Uma das demandas reivindicadas pelos funcionários públicos também foi contemplada no plano emergencial. O governo interino informou que buscará soluções para o pagamento de terceirizados, além de abrir processo seletivo para técnicos em enfermagem, até que se possa lançar edital de concurso público. O pagamento de vale alimentação aos servidores de carreira da saúde também está previsto no plano.

Outra novidade anunciada será o “Programa Remédio em casa”, com entrega domiciliar de medicamentos de uso contínuo para pacientes com acompanhamento nas unidades de saúde.

Interiores

Para o interior do Estado, o governador disse que será feito levantamento da quantidade de profissionais da saúde que atuam em cada município e “Programa Amazonas Meu Sorriso”, ampliando ações de saúde bucal. A ideia é buscar uma integração com todas as prefeituras para ofertar serviços odontológicos de higienização e reestruturação dentária, para pessoas de todas as faixas etárias nos municípios.

Recursos

O Plano de Saúde deve atender a todo o Estado e será custeado com recursos do governo do Amazonas, além de contar com ajuda do governo federal, no valor de R$ 150 milhões

Laize Minelli
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

grupo
Subir